ArtRio mostra força do mercado das artes visuais em 9ª edição

Por Miguel Arcanjo Prado

O dinamismo do mercado das artes visuais é a força motriz da ArtRio. Afinal, esta seara das artes costuma ser inabalável mesmo diante das crises que sacodem o mundo e, especialmente, o Brasil nos últimos tempos.

Um dos principais eventos do gênero na América Latina, a Feira de Arte Internacional do Rio de Janeiro chega à sua 9ª edição entre os dias 18 e 22 de setembro de 2019 na Marina da Glória, na capital fluminense.

O lugar traz o charme de ter uma das vistas mais emblemáticas não só da Cidade Maravilhosa como do País: a baía de Guanabara com o Pão de Açúcar ao fundo, com seu charmoso bondinho que sobe e desce.

A clássica paisagem carioca enche os olhos não só dos costumeiros turistas mas também de qualquer colecionador de arte, além de ser capaz de inspirar artistas, seja do iniciante ao já consagrado.

Brenda Valansi preside a ArtRio – Fotos: Bruno Ryfer/Divulgação – Blog do @miguel.arcanjo

Mulher no comando

E é justamente unir tais personagens durante cinco dias nesta exuberância de luzes e cores tropicais o objetivo de Brenda Valansi, presidente e criadora da ArtRio em 2011, evento que comanda sozinha pela primeira vez.

A executiva das artes celebra não só a expectativa de 50 mil visitantes em sua feira como também de bater o recorde de estrangeiros participantes. Neste ano estão confirmados mais de 130 importantes nomes internacionais, entre curadores, galeristas e, claro, ávidos colecionadores. Número que é o dobro do registrado no ano passado.

Gente que vem atrás, sobretudo, de antigos e novos talentos das artes visuais aqui do Brasil. “A arte brasileira vem em uma ascensão gigantesca em termos de reconhecimento internacional”, avisa Brenda, antes de comemorar: “Isso é muito positivo”.

O interesse de curadores e colecionadores internacionais tem duplicado a cada edição da ArtRio. “Por isso, este ano, a gente optou em fazer uma feira na sua maioria brasileira”, fala a executiva, que confirma 80 galerias participantes na programação.

Para a presidente da ArtRio, a decisão de fazer “uma feira focada”, acaba por “atrair pessoas com interesse em arte brasileira e latino-americana como um todo”. Em sua visão, o bom momento para as artes visuais made in Brazil “é fruto da exposição que a arte brasileira está tendo no exterior, com mostras internacionais de nomes consagrados como Lygia Clark e Tarsila do Amaral”.

Tanto frenesi sobre nossos artistas reforça ainda mais a missão da ArtRio: “Valorizar a arte brasileira é nosso grande objetivo desde o começo”, reforça Brenda, lembrando a importância do trabalho contínuo que desenvolve nesta última década. “A ArtRio é um movimento que acontece o ano todo e visa aproximar as pessoas da arte. Digamos que essa feira de setembro é o ápice desse movimento”, explica.

Público na ArtRio – Foto: Bruno Ryfer/Divulgação – Blog do @miguel.arcanjo

Prova de sua força, a ArtRio 2019 coleciona apoios de empresas como Audi, Aliansce Sonae, Osklen, Rio Galeão, Shopping Leblon, Stella Artois e Green People, além de apoio institucional da Estácio, Bombay Sapphire, Breton, Perrier-Jouet e RUA. Além disso, o Belmond Copacabana Palace é o hotel oficial do evento realizado pela BEX.

Entre as ações que fogem à feira propriamente dita e que são capitaneadas pela ArtRio estão o fomento à cadeia produtiva artística, com constante estímulo e apoios a exposições pelo país afora, destacando sempre no circuito novas galerias. Ela ainda estimula o colecionismo bem como a formação de público e a promoção de novos talentos. “O que fazemos é construir um legado artístico para o público brasileiro que é ávido em consumir arte e cultura”, afirma Brenda.

E este ano a ArtRio promete números gigantes. “Será uma grande exposição com cerca de 900 obras de artistas do mundo todo, mas principalmente do Brasil”, reforça, mais uma vez, sua criadora, antes de lembrar um detalhe importante: “E, como é uma feira, todas essas obras estão à venda”.

Mas nem só de artes visuais vive a ArtRio — que foi pioneira entre as feiras de arte em vender obras pela internet. Ela integra outras linguagens artísticas cada vez mais. Neste ano há programação intensa de poesia e literatura, no programa Palavra, sob curadoria de Gabriel Gorini. “O foco são as artes visuais, mas abordamos outras competências culturais humanas. Vejo a ArtRio como um evento multidisciplinar e multicultural”, sentencia Brenda.

A ArtRio já pode se gabar de ter cravado seu nome no mercado nacional e internacional de arte, estabelecendo-se como evento de negócios crucial em sua área. E, claro, valorizou e muito o campo artístico brasileiro no cenário mundial, já que é um verdadeiro holofote para novos talentos que se expõem a olhos ávidos e desconhecidos.

“A conquista dessa posição é motivo de muito orgulho”, comemora Branda. “É uma conquista de todos que trabalham na cadeia deste mercado. Quando comecei a desenvolver o projeto da ArtRio, há mais de dez anos, esse era um grande sonho”, recorda.

“Com tudo que realizamos até hoje e com todas as conquistas concretas que tivemos, incluindo o reconhecimento dos grandes nomes globais do segmento, posso afirmar que a ArtRio é a maior plataforma de valorização da arte brasileira”, decreta.

Robusta, a programação da ArtRio é dividida em diferentes áreas. A Panorama traz galerias já estabelecidas no mercado de arte moderna e contemporânea. Já a Vista traz galerias jovens, com até dez anos de atividades.

A Mira, por sua vez, está em sua terceira edição, sempre explorando narrativas visuais de artistas consagrados e novatos que têm como plataforma o vídeo, sob curadoria de Victor Gorgulho.

Neste ano ele selecionou filmes realizados de 2011 a 2019 na mostra Novos Horizontes, que será exibida em um telão gigante — com destaque para o último filme do Luiz Roque, “Zero”, de 2019, e o o penúltimo filme da dupla Bárbara Wagner & Benjamin de Burca, “Rise”, de 2018.

Sandra Hegedüs: abrindo portas na Europa para a arte brasileira – Foto: Renata Charveriat/Divulgação – Blog do @miguel.arcanjo

Mecenas brasileira em Paris

Já o programa Solo, outro destaque da programação, está sob curadoria de Sandra Hegedüs, grande colecionadora paulistana radicada em Paris, onde tem voz em importantes museus.

Na ArtRio, Sandra focará na sua maior especialidade: grandes coleções de arte. Ela selecionou cerca de uma dezena de artistas para terem seus trabalhos exibidos com exclusividade por suas respectivas galerias.

Não à toa, Sandra é considerada atualmente uma das grandes mecenas do cenário das artes em todo o globo. Foi na França que ela desenvolveu atividades de produção audiovisual — possui formação em cinema pela Faap — e deu início à sua cobiçada coleção particular. Mas não se contentou só com isso.

Há exatos dez anos, resolveu criar sua menina dos olhos: o SAM Art Projects. O objetivo foi dar suporte e promoção a artistas contemporâneos de países não ocidentais, incluindo aí estímulos a intercâmbios artísticos, além de apoiar projetos de artistas franceses que vivem ou trabalham em países estrangeiros que não sejam da Europa ou os Estados Unidos.

Seu projeto faz exposições regulares no Palais de Tokyo, em Paris, meca do marcado artístico internacional. Prestigiada, levou para o conselho de sua instituição sem fins lucrativos nomes poderosos como Jean-Hubert Martin, Annabelle Ténèze, Marie-Ann Yemsi, Jean de Loisy, Thierry Raspail, Myriam Ben Salah, Emma Lavigne e Nicolas Bourriaud.

Não bastasse tudo isso, Sandra ainda faz parte do círculo internacional do Centro Georges Pompidou de Paris, onde é responsável pela aquisição de artistas latino-americanos, e ainda integra o Centro Nacional de Artes Plásticas, órgão do Ministério da Cultura da França.

Novos talentos

A ArtRio 2019 ainda tem neste ano a segunda edição do programa Brasil Contemporâneo, com artistas vindos fora do eixo Rio-SP, dando aos mesmos possibilidade de projeção no grande circuito.

Os talentos do futuro também têm espaço na programação. Durante a ArtRio, serão conhecidos os selecionados do 7º Prêmio FOCO ArtRio, voltado a artista brasileiros jovens — com até 15 anos de carreira — e que já lançou nomes hoje estabelecidos no mercado.

Serão escolhidos dois artistas, que receberão residências artísticas em duas instituições de excelência, a Residência Capacete, no Rio, e a Residência São Jerônimo, em Belém, além de bolsas de estudo. “O Prêmio dá uma alavancada na carreira”, avisa Brenda.

Pensando ainda no caráter formativo do evento, ainda fazem parte da programação rodas de conversas, palestras, debates e visitas a ateliês, além do CIGA (Circuito Integrado de Galerias de Arte), com direito a vernissages e encontro com artistas.

“Para os jovens estudantes de artes visuais é importante visitar a ArtRio e ver como tudo está acontecendo. Os grandes eventos são fundamentais para quem deseja se colocar no mercado de arte, seja como artista, galerista, curador ou colecionador”, finaliza Brenda Valansi.

ArtRio 2019

Quando: 18 a 22/9/2019; quarta a sábado, 13h às 21h; domingo, 13h às 20h
Onde: Marina da Glória (av. Infante Dom Henrique, s/nº, Glória, Rio de Janeiro, RJ)
Quanto: A partir de R$ 60
Informações: www.artrio.com

Você pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *