O Retrato do Bob: Phedra D. Córdoba, a diva imortal

Phedra D. Córdoba, a grande diva cubana que o teatro brasileiro teve o privilégio de ter – Foto: Bob Sousa

Divas não morrem jamais. A máxima define a lendária diva cubana do teatro brasileiro, Phedra D. Córdoba (1938-2016). Ela ressuscita pela magia do teatro nos palcos paulistanos a partir desta segunda (8) no Espaço dos Satyros, palco onde brilhou por anos a fio e no qual se despediu de todos nós. Sua vida e obra é tema do espetáculo “Entrevista com Phedra”, escrito por este colunista e dirigido por Juan Manuel Tellategui e Robson Catalunha. Nele, Phedra renasce no corpo da atriz e bailarina Márcia Dailyn, herdeira de seu título de diva da praça Roosevelt, na obra inspirada em fatos reais que ainda traz o ator Raphael Garcia na pele do curioso repórter diante da estrela esplendorosa, como registrou para a eternidade o fotógrafo Bob Sousa neste retrato de 2013. No dia seguinte a este registro, Bob escreveu a seguinte definição ao enviar a imagem ao colunista: “Fazendo história”. Estava coberto de razão. Que viva Phedra!

“Entrevista com Phedra”, de Miguel Arcanjo Prado. Direção de Juan Manuel Tellategui e Robson Catalunha. Com Márcia Dailyn e Raphael Garcia. Espaço dos Satyros 1 (praça Franklin Roosevelt, 214, Consolação, região central, tel. 11 3258-6345). 50 lugares. Seg.: 21h. Estreia seg. (8). Até 2/9. 50 min. 14 anos. Ingr.: R$ 40 inteira e R$ 20 meia.

Bob Sousa é fotógrafo, mestre em artes pela Unesp e crítico de artes visuais da APCA (Associação Paulista de Críticos de Artes). É autor do livro “Retratos do Teatro” (Ed. Unesp). Semanalmente, retrata com exclusividade para o Blog do Arcanjo no UOL grandes nomes da Cultura e das Artes na coluna O Retrato do Bob. Produção: Daniela Hamazaki.

Siga @miguel.arcanjo no Instagram

Você pode gostar...