Menino africano que tentou imigrar em uma mala inspira peça de teatro em SP

Cena da peça “Quando Eu Morrer, Vou Contar Tudo a Deus” – Foto: Tide Gugliano/Divulgação – Blog do Arcanjo – UOL

A dura vida dos refugiados africanos é abordada na peça infantil “Quando Eu Morrer, Vou Contar Tudo a Deus”, que o Coletivo O Bonde estreia neste sábado (23), em São Paulo.

A obra aporta no Sesc Belenzinho (r. Padre Adelino, 1.000, metrô Belém), onde fica em cartaz aos sábados e domingos, meio-dia, com ingresso a R$ 20 a inteira e R$ 10 a meia, até 14 de abril.

O espetáculo retoma o caso do garoto Abou, da Costa do Marfim, que foi encontrado em 2015 dentro de uma mala de viagem, cruzando ilegalmente a fronteira do Marrocos com a Espanha.

Inspirado nos contadores de histórias africanos, os griots, a peça narra a trajetória de Abou e sua família e o processo migratório, evidenciando a forma como a vida dele dialoga com as realidades de tantas crianças das periferias brasileiras.

O Coletivo O Bonde afirma que deseja com a dramaturgia de Maria Shu dirigida por Ícaro Rodrigues conversar com as crianças, para que elas se sintam representadas, retratas e com possibilidade de fala, de diálogo e de escuta.

Estão no elenco os atores Jhonny Salaberg, Filipe Ramos, Marina Esteves e Ailton Barros e os músicos Ana Paula Marcelino e Anderson Sales.

Siga Miguel Arcanjo Prado no Instagram

Please follow and like us:
Surra de estilo: Prêmio Bibi Ferreira 2022 Grammy Latino 2022: Veja brasileiros indicados! Travessia estreia em 10 de outubro na Globo Fred Raposo é destaque no Mirada Maitê Proença estreia O Pior de Mim em SP