Pena de Pavão de Krishna e Mariana Ferrão relaxam e empolgam Virada Zen

Pena de Pavão de Krishna no palco da Virada Zen, no Ibirapuera, no último domingo (11) – Foto: Divulgação – Blog do Arcanjo – UOL

Um clima de paz e alegria contagiante reinou no último domingo (11) no Parque Ibirapuera, em São Paulo, no encerramento da Virada Zen. A festa coroou os sete dias de intensa programação voltada ao “bem-estar integral, autoconhecimento e à cultura de paz” com 800 atividades gratuitas em 200 pontos da capital paulista.

A jornalista Mariana Ferrão, que apresenta o programa “Bem Estar” na Globo, foi a mestre de cerimônias do evento e comandou o público em uma sessão de autoconhecimento com direito a depoimento de pessoas que se reencontraram no gramado do Ibirapuera após a meditação.

Uma senhora celebrou pisar na grama pela primeira vez após um tratamento de câncer, emocionando Mariana, conforme acompanhou o Blog do Arcanjo no UOL.

A jornalista Mariana Ferrão e a atriz Lauanda Varone durante show do Pena de Pavão de Krishna na Virada Zen no Ibirapuera – Foto: Reprodução @umatriz – Divulgação – Blog do Arcanjo – UOL

O fim de tarde foi no clima tilelê mineiro, com o bloco carnavalesco de Belo Horizonte Pena de Pavão de Krishna. Com sua mistura de ritmos afro-brasileiros com levada indiana, o bloco hipnotizou o público paulistano com seus integrantes pintados de azul tal qual a deusa hindu que nomeia o grupo.

O momento de maior emoção do show foi quando os músicos homenagearam Moa do Katendê, mestre baiano fundador do afoxé Badauê, parceiro do PPK (como o bloco é carinhosamente chamado) que foi brutalmente assassinado no primeiro turno das eleições por conta de suas convicções políticas. Outra mártir política recente, a vereadora carioca Marielle Franco também foi lembrada no show. Os dois nomes foram fartamente aplaudidos.

Moa do Katendê, brutalmente assassinado por motivos políticos no primeiro turno das eleições em Salvador, foi homenageado no show do Pena de Pavão de Krishna em São Paulo – Foto: Reprodução – Instagram @moadokatende – Blog do Arcanjo – UOL

O PPK cantou “Olha Aí Quem Chegou”, música composta por Moa do Katendê especialmente para o bloco belo-horizontino. O grupo ainda colocou no repertório “Badauê”, hino de lançamento do bloco afro-baiano liderado por Katendê e que foi gravado por Caetano Veloso em seu disco “Cinema Transcendental”, de 1979.

O público, devidamente relaxado anteriormente pela meditação comandada por Mariana Ferrão, foi ao êxtase durante o show do PPK, que contou com hits como “Águas”, cantado por Raphael Sales, “Ponto de Nanã”, na voz de Leopoldina Azevedo, e “Quilombo Oriental”, canção interpretada por Gustavito Amaral, com seus versos que foram espécie de síntese do show: “Krishna vai descer no Badauê, cantar um afoxé no seu congar junto com Gandhi”.

Ao fim, uma ciranda de “amor, perdão e gratidão” submersa na percussão energética uniu a todos em uma grande catarse coletiva no gramado do Ibirapuera.

Siga Miguel Arcanjo Prado no Instagram

Please follow and like us:
Vingança, O Musical é aplaudido por estrelas Longa Jornada Noite Adentro é aplaudida por famosos Marina Sena fala do 2º álbum Orgulho LGBT+ 5 peças em São Paulo Parada do Orgulho LGBT+ bate recorde com 4 milhões de pessoas