Corpo negro é destaque na abertura de Tiradentes

O ator Babu Santana se emociona ao receber o Troféu Barroco em Tiradentes – Foto: Leo Lara/Universo Produção/Divulgação

Por Miguel Arcanjo Prado
Enviado especial a Tiradentes (MG)*

O corpo negro com toda a sua potência artística de leituras e significados foi o grande destaque da abertura da 21ª Mostra de Cinema de Tiradentes, na noite desta sexta (19), na cidade histórica mineira, sob direção de Grazi Medrado e Chico de Paula, que também fizeram o roteiro ao lado de Raquel Hallak.

Sob delicada trilha ao vivo executada por Barulhista, Anderson Oliveira e Paulo Sérgio Thomaz, a atriz e diretora Grazi Medrado abriu a noite lendo excelente texto do poeta mineiro Leo Gonçalves sobre a cidade de Tiradentes, que completa 300 anos.

Em uma interpretação pausada e repleta de sentidos a cada palavra dita, o texto na boca da atriz aliou passado, presente e futuro com a cidade barroca.

Além disso, ressaltou de forma elegante e precisa a luta da população negra, tão castigada na mesma história tricentenária.

Os atores Preto Amparo e Grazi Medrado se destacaram na abertura da 21ª Mostra de Cinema de Tiradeentes – Foto: Leo Lara/Universo Produção/Divulgação

Desenvolto e repleto de simpatia, o ator David Maurity foi o mestre de cerimônias da festa, que também contou com participação da potente bailarina Mayra Motta, em uma dança ancestral que misturou passado e presente em ritmos afros fluídos e sincopados, enquanto no painel surgiam referências da luta do movimento negro, como Malcon X e os Panteras Negras.

A bailarina Maýra Motta representou um mix de danças negras ancestrais e contemporâneas na abertura da 21ª Mostra de Cinema de Tiradentes – Foto: Leo Lara/Universo Produção/Divulgação

Outro que surgiu no palco foi o ator Preto Amparo. Com presença intensa e um corpo malemolente ao som de Tim Maia, chamou ao palco o homenageado desta edição, o ator Babu Santana, após anunciar pausadamente os feitos do artista celebrado.

Acompanhado de seus familiares, ele subiu ao palco e se emocionou bastante. No discurso, feito após as lágrimas, Babu celebrou ter sido criado por uma família de negros empoderados do Vidigal, comunidade na zona sul do Rio onde despertou seu talento para a atuação no grupo Nós do Morro. “As mulheres da minha família são empoderadas desde sempre”, falou.

Babu Santana recebeu a grande homenagem em Tiradentes ao lado dos filhos e de seus familiares – Foto: Leo Lara/Universo Produção/Divulgação

Babu ainda falou das dificuldades que enfrentou ao longo da carreira até encontrar seu lugar no campo da atuação: “Ser artista no Brasil já é uma dificuldade. Ser negro, favelado, não ser bonito, era tudo contra. Pensava: como vou me inserir no mercado? Não seria beijando a menininha da novela das oito”, afirmou.

Quintino Vargas, Raquel Hallak e Fernanda Hallak, organizadores da Mostra de Cinema de Tiradentes – Foto: Leo Lara/Universo Produção/Divulgação

Antes, Raquel Hallak, da Universo Produção, que produz o festival, falou em seu sempre aguardado e poético discurso sobre o tema de 2018: “Chamado Realista”. Disse tratar-se de um chamado para a vida e a diversidade e contra qualquer tipo de preconceito. “Um chamado para refletir e discutir outros universos possíveis”, pontuou.

Ainda na abertura, Marco Antonio Castello Branco, presidente da Codemig, órgão de desenvolvimento do governo estadual mineiro, anunciou investimento de R$ 16,5 milhões no cinema de Minas Gerais por meio de um edital, no âmbito do Programa de Desenvolvimento do Audiovisual Mineiro (Prodam).

Angelo Oswaldo, secretário de Cultura de Minas Gerais, homenageia o músico Flávio Henrique, vítima da febre amarela, durante abertura da 21ª Mostra de Cinema de Tiradentes, observado por Raquel Hallak e Quintino Vargas, da Universo Produção, que organiza o evento – Foto: Leo Lara/Universo Produção/Divulgação

O secretário de Cultura de Minas, Angelo Oswaldo, homenageou o músico Flávio Henrique, que morreu nesta semana vítima da febre amarela, no momento mais comovente da noite, quando o nome do compositor foi aplaudido pelas 700 pessoas que lotaram o Cine-Tenda.

*O jornalista Miguel Arcanjo Prado viajou a convite da Mostra de Cinema de Tiradentes.

Siga Miguel Arcanjo no Instagram
Curta Miguel Arcanjo no Facebook
Siga Miguel Arcanjo no Twitter

 

 

Please follow and like us:
Tim Maia: 80 anos do eterno síndico Surra de estilo: Prêmio Bibi Ferreira 2022 Grammy Latino 2022: Veja brasileiros indicados! Travessia estreia em 10 de outubro na Globo Fred Raposo é destaque no Mirada