Fernanda Montenegro se emociona em noite histórica no Teatro Oficina

Antonio Fagundes, Zé Celso, Fernanda Montenegro e Fernanda Torres – Foto: Jennifer Glass/Fotos do Ofício/Divulgação

Por Miguel Arcanjo Prado

Foi uma noite histórica para o teatro brasileiro. A atriz Fernanda Montenegro, 88 anos, ficou fortemente emocionada nesta terça (14).

Em São Paulo, ela participou da leitura do novo livro de sua filha, Fernanda Torres, 52, “A Glória e Seu Cortejo de Horrores”, no Teat(r)o Oficina lotado, ao lado do diretor José Celso Martinez Corrêa, o Zé Celso, e de Antonio Fagundes.

Nomes importante dos palcos como Sérgio Mamberti, Paulo César Pereio, Vera Barreto Leite e Renato Borghi também participaram do evento, que terminou com uma grande festa.

Fernanda lembrou que, se estivesse vivo, seu marido Fernando Torres estaria completando 90 anos naquele dia. Depois, preferiu discursar como mãe.

“Vou falar como mãe. Eu amo ser mãe. Tenho dois filhos que me honram. Estar aqui com minha filha, com Fagundes, com meu primo Sergio, com Pereio, Zé Celso, com vocês aqui, é um momento especial da minha vida. Eu estou com 88 anos”, falou Fernanda Montenegro, muito emocionada, sendo fortemente aplaudida.

“Na minha vida isso nunca mais vai acontecer. Não digo isso com tristeza, eu consegui na minha vida, com mais de 70 anos de vida pública, viver este momento”.

Fernanda Montenegro discursa emocionada no Oficina – Foto: Jennifer Glass/Fotos do Ofício/Divulgação

O público voltou a aplaudir fortemente e gritar pelo nome de Fernanda Montenegro. O ator Glauber Amaral, do Oficina, lembrou a Fernanda que esteve a seu lado ainda criança no lançamento do filme “Central do Brasil” no sertão pernambucano.

Fernanda Torres, ao tomar a palavra, reiterou que estava feliz por ter visto “O Rei da Vela” no último domingo (12). A peça foi remontada por Zé Celso e o Oficina depois de 50 anos da estreia original, em 1967. A peça está em cartaz no Teatro Paulo Autran do Sesc Pinheiros, com ingressos esgotados.

Ela chamou Renato Borghi, protagonista em 1967 e em 2017, ao palco. “O Borghi me disse uma coisa linda no fim de ‘O Rei da Vela’. Ele disse: ‘quando eu vejo ‘O Rei da Vela’ comigo jovem eu fico nervoso porque eu faço muito esforço. Eu levei 50 anos para não fazer esforço’. Isso é de uma beleza!”.

“Eu queria agradecer porque vi ‘O Rei da Vela’ não como algo lá atrás, mas ‘O Rei da Vel’a hoje como nunca vi, uma peça tão própria para este momento. Todos nós deveríamos ver ‘O Rei da Vela’, o mundo deveria ver ‘O Rei da Vela’. Poder ler meu livro, sobre um ator, no Oficina, eu só teria de agradecer a Zé Celso por este momento”, concluiu.

Fernanda Torres discursa no palco do Oficina, observada por Zé Celso, Antonio Fagundes e Fernanda Montenegro – Foto: Jennifer Glass/Fotos do Ofício/Divulgação

Depois, o vereador Eduardo Suplicy tomou a palavra, lembrando a disputa entre o Oficina e Silvio Santos pelo terreno ao lado do teatro: “Silvio Santos tem de perceber, como um homem de televisão que teve tanta convivência com artistas, até meu filho Supla, que ele possa perceber que é fundamental ele chegar a um acordo com o Prefeito João Doria e as arquitetas queridas do Oficina, para transformar o Teat(r)o Oficina no Anhangabaú da Feliz Cidade”, discursou.

Zé Celso, ao fim, convidou Fernanda Montenegro para fazer parte do Conselho do Bixiga, que lutará contra “o genocídio do bairro”. Segundo o diretor, no dia 26 deste mês, os artistas fão fazer um grande “abraçaço” no quarteirão em que fica seu teatro e o terreno de Silvio Santos. Durante todo o tempo, Fernanda Montenegro foi cuidada pelo ator Tony Reis, do Oficina.

Os artistas ficaram no meio do público, composto por nomes ligados à cultura – Foto: Jennifer Glass/Fotos do Ofício/Divulgação

Apoio ao Oficina na disputa por terreno com Silvio Santos

O evento com Fernanda Montenegro e Fernanda Torres foi uma forma que ambas encontraram de manifestar publicamente o apoio ao Oficina na disputa com Silvio Santos pelo terreno que fica ao lado do teatro tombado pelo patrimônio histórico.

O Grupo Silvio Santos quer construir torres residenciais no terreno que fica ao lado do Oficina. Os artistas dizem que isso “encaixotaria” o teatro projetado por Lina Bo Bardi e Edson Elito, eleito o mais belo do mundo pelo jornal inglês The Guardian, já que o projeto consta com uma enorme janela que dá justamente para o terreno de Silvio Santos.

Zé Celso e seus artistas propõem que o terreno seja trocado com intermediação da Prefeitura de São Paulo e transformado em parque público, o Parque do Bixiga. Silvio Santos não aceitou a proposta até o momento e inclusive desmarcou uma segunda reunião com Zé Celso e João Doria, depois a primeira terminou sem acordo e que o vídeo do encontro entre os três para discutir o assunto foi divulgado pela colunista Mônica Bergamo, do jornal Folha de S.Paulo.

Siga Miguel Arcanjo no Instagram
Curta Miguel Arcanjo no Facebook

Veja mais imagens da noite histórica no Oficina:

Antonio Fagundes e Fernanda Montenegro – Foto: Jennifer Glass/Fotos do Ofício/Divulgação

Antonio Fagundes e Fernanda Montenegro – Foto: Jennifer Glass/Fotos do Ofício/Divulgação

Zé Celso no piano, observado por Antonio Fagundes, Fernanda Montenegro e Fernanda Torres – Foto: Jennifer Glass/Fotos do Ofício/Divulgação

Danilo Santos de Miranda, diretor regional do Sesc em São Paulo, e Fernanda Montenegro – Foto: Jennifer Glass/Fotos do Ofício/Divulgação

Artistas do Oficina – Foto: Jennifer Glass/Fotos do Ofício/Divulgação

Zé Celso, Antonio Fagundes, Fernanda Montenegro e Fernanda Torres – Foto: Jennifer Glass/Fotos do Ofício/Divulgação

Detalhe do livro de Fernanda Torres – Foto: Jennifer Glass/Fotos do Ofício/Divulgação

Paulo Cesar Pereio e Sergio Mamberti – Foto: Jennifer Glass/Fotos do Ofício/Divulgação

Fernanda Torres lê trecho do seu livro – Foto: Jennifer Glass/Fotos do Ofício/Divulgação

Fernanda Montenegro lê trecho do livro da filha – Foto: Jennifer Glass/Fotos do Ofício/Divulgação

Observada por Antonio Fagundes, Fernanda Montenegro ganha beijo da filha, Fernanda Torres – Foto: Jennifer Glass/Fotos do Ofício/Divulgação

Fernanda Montenegro reencontra Vera Barreto Leite e se emociona, ao fundo, Igor Marotti, cineasta do Oficina – Foto: Jennifer Glass/Fotos do Ofício/Divulgação

Fernanda Montenegro ganha um beijo da amiga Vera Barreto Leite, que foi a modelo preferida de Coco Chanel e hoje é atriz do Oficina, ao fundo, Glauber Amaral e Igor Marotti – Foto: Jennifer Glass/Fotos do Ofício/Divulgação

Geral do Teat(r)o Oficina – Foto: Jennifer Glass/Fotos do Ofício/Divulgação

Público lotou o Teat(r)o Oficina em noite histórica – Foto: Jennifer Glass/Fotos do Ofício/Divulgação

Please follow and like us:
Morre pai do Padre Marcelo: “Até a eternidade” Colplay cancela shows no Brasil por doença de Chris Martin Marilyn Monroe, Blonde: Curiosidades do filme Tim Maia: 80 anos do eterno síndico Arlete Salles brilha no Teatro das Artes