Grupo Redimunho usa porão de velho hotel em peça

A atriz Drica Zangrande nos porões do Hotel Cambridge – Foto: Katia Kuwabara/Divulgação

Por Miguel Arcanjo Prado

O Grupo Redimunho de Investigação Teatral comemora 13 anos de pesquisa com o espetáculo “Siete Grande Hotel: A Sociedade das Portas Fechadas”.

A montagem está em cartaz até 18 de dezembro, em São Paulo, domingos, às 19h, e Segundas-feiras, às 20h, com ingresso a R$ 15 e R$ 30.

Com 120 minutos de duração, a obra só pode ser vista por 30 espectadores de cada vez. É preciso fazer reserva prévia pelo telefone 11 97541-7077.

A obra começa no Espaço Redimunho de Teatro, localizado na Rua Álvaro de Carvalho, 75, no Anhangabaú e o segundo ato acontece nos porões do Hotel Cambridge, parceiro da trupe neste projeto.

O grupo diz que a peça navega em labirintos repletos de perdidos e achados.

“Chamamos labirintos não porque sejam tortuosos e destinados aos tantos muros sem-saída do nosso tempo, mas porque traçam, ou refundam, o sinuoso caminho dos rios ao alimentar cada membro do grupo com anônimas trajetórias alheias, as mais confiáveis para interrogar nossa história de espelho partido”, define o grupo.

“Em ‘Siete Grande Hotel: A Sociedade das Portas Fechadas’, ao mesmo tempo em que uma ocupação artística revela uma ocupação real, por meio de sete jornadas que se entrelaçam em lugares inusitados, breves narrativas interrogam o mundo contemporâneo com suas belezas, guerras, violências, migrações e esperanças”, diz o Redimunho.

Siga Miguel Arcanjo Prado no Facebook, no Twitter e no Instagram.

Please follow and like us: