Rapidinhas teatrais: Claudia Raia convoca Gianecchini e Medici para Cantando na Chuva

Marcelo Medici e Reynaldo Gianecchini nos bastidores da gravação dos vídeos de Cantando na Chuva – Foto: Divulgação

Por Miguel Arcanjo Prado

Amigos por perto
Claudia Raia convocou os amigos Reynaldo Gianecchini e Marcelo Medici para gravarem participação especial em vídeo no musical Cantando na Chuva. O trio se quer bem dos bastidores da Globo.

Renta Final
Claudia Raia está apreensiva com os últimos preparativos para a estreia, neste sábado (12), no Teatro Santander, em São Paulo. Não quer que nada dê errado. Sobretudo a chuva torrencial com 10 mil litros de água morna. Ela está ansiosa.

Dinheirão
“Cantando na Chuva” custou R$ 9,3 milhões, captados pela Lei Rouanet. O casal Jarbas Homem de Mello e Claudia Raia resolveram capitanear a superprodução após assistir à montagem londrina. Danados.

Pupik: temporada na Europa – Foto: Arthur Amaral

Internacional
O espetáculo Pupik – Fuga em 2, colaboração internacional entre as atrizes Naomi Silman, do Lume Teatro (Brasil), e Yael Karavan, do The Karavan Ensemble (Inglaterra), acaba de cumprir curta temporada no Sesc Pinheiros e agora segue para uma turnê na Europa: a peça fará apresentações em Londres e Lisboa no segundo semestre. Chiquérrimo.

Viva a diversidade
Maior evento de promoção de manifestações artístico-culturais LGBT do interior do Estado de São Paulo, o Plural – Festival da Diversidade acontece de 15 a 20 de agosto em Araçatuba. Serão 42 ações em 18 espaços. Eita.

Destaques
Em sua terceira edição, o Plural tem dez shows musicais, sete espetáculos de teatro, dois espetáculos de dança, exibição de filmes, performances, intervenções, exposição e ações formativas. Karol Conka, As Bahias e a Cozinha Mineira e #NãoRecomendados já confirmaram presença. Não são bobas, nada.

Intercâmbio
Ainda terá a a exposição Cotidiano Plural, criada especialmente para o evento pelo Museu da Diversidade Sexual de São Paulo. Coisa boa.

Rodolfo Lima em Réquien para um Rapaz Triste – Foto: Divulgação

Palcos
O teatro estará presente no Plural com apresentações gratuitas de O Evangelho Segundo Jesus, Rainha do Céu, da escocesa trans Jo Clifford e atuação de Renata Carvalho e Dizer e não Pedir Segredo, do Teatro Kunyn com direção de Luiz Fernando Marques; além de dois espetáculos do ator Rodolfo Lima – Réquiem para um Rapaz Triste e Cerimônia do Adeus. Vale a pena conferir.

Tem mais
Plural ainda terá uma mostra com quatro montagens da Selvática Cia, do Paraná – As Tetas de Tirésias, No documento é Homem, mas aparenta ser mulher, Coágulo e Momo – Para Gilda com Ardor. O interior de São Paulo será representado pelos espetáculo Puto!, do Grupo de Apoio a Loucura, de São José do Rio Preto e Amém, do grupo Um e Outro, de Araçatuba. Turma boa.

Dagoberto Feliz – Foto: Bob Sousa

11 vezes Dagoberto Feliz
Indicado ao Prêmio Shell de Teatro, o Teatro de Contêiner Mungunzá segue com o projeto Teatro de Contêiner Convida, desta vez com o diretor Dagoberto Feliz. Até 31 de agosto dá pra conferir 11 espetáculos do premiado artista do Grupo Folias D’Arte. Programe-se.

Eduarod Martini e Guilherme Chelucci estão em O Filho da Mãe – Foto: Celina Germer

Comédia
Eduardo Martini e Guilherme Chelucci reestreiam a peça O Filho da Mãe nesta sexta (11) no Teatro Itália, em São Paulo. Merda.

Não para
Eduardo Martini na próxima semana estreia no mesmo Teatro Itália Até Que o Casamento Nos Separe. Com Suzy Rêgo. Até o fim do ano, planeja mais duas peças: o monólogo Um Papo com o Diabo, com direção de Elias Andreato, e Angel, que só vai dirigir. Garoto esperto.

Luciano Chirolli – Foto: Bob Sousa

Maratona teatral
O ator Luciano Chirolli estará nos palcos de São Paulo sete dias por semana. Ele segue em cartaz com o espetáculo Ponto Morto, ao lado de Marat Descartes (até 29 de agosto, de terça a quinta-feira, no Teatro Sérgio Cardoso) e também dá vida ao poeta russo Vladimir Maiakovski no espetáculo A Pleno Pulmões ao lado de Georgette Fadel (no CCBB de sexta a segunda-feira). Ufa.

Feito inédito
Em 31 anos de carreira é a primeira vez que o ator se dividirá em dois trabalhos ao mesmo tempo sem folgas. Para ele é um sonho poder dividir o palco com dois grandes atores da cena teatral paulistana. “Estar ao lado de Marat numa peça e de Georgette em outra é um presente dos deuses do teatro”, diz Chirolli à coluna. É mesmo.

Bita e a Imaginação que Sumiu: papai entra grátis na compra de um ingresso no Dia dos Pais – Foto: Elisa Mendes

Dia dos pais
O musical infantil Bita e a Imaginação que Sumiu, em cartaz com sucesso no Teatro Shopping Frei Caneca sábado e domingo às 15h, faz promoção neste Dia dos Pais. Na compra de um ingresso o pai entra de graça. Mas só vale neste domingo (13) na bilheteria do teatro. Aproveite!

Ritmo de Festa
A comédia musical Forever Young está em clima de festa no Teatro Nair Bello, no Shopping Frei Caneca. Além de estar indicado em cinco categorias do Prêmio Bibi Ferreira, a montagem completa um ano em cartaz neste fim de semana. Para celebrar, o público vai pagar meia entrada na compra do ingresso. As apresentações acontecem sextas-feiras, às 21h30, sábados, às 21h, e domingos às 19h, até 1 de outubro. Vai, gente.

Julia Lopes Almeida: ela não entrou na ABL por ser mulher – Foto: Reprodução

Mulheres, avante!
Nos 120 anos da Academia Brasileira de Letras e em uma época em que os debates sobre o papel da mulher na sociedade têm ganhado cada vez mais destaque, Michele Asmar Fanini lança o livro A (in)visibilidade de um Legado: seleta de textos dramatúrgicos inéditos de Júlia Lopes de Almeida pela Intermeios, em coedição com a Fapesp. Leia.

Não tomou posse
O livro dá voz à vida e obra da escritora mais publicada no Brasil durante a Primeira República (1889-1930). Figura que compôs o grupo de idealizadores da ABL, fundada em 1897, mas não integrou a galeria dos imortais por ser mulher. A publicação traz informações biográficas e literárias sobre Júlia Lopes de Almeida (1862 – 1934), além de reunir seis textos dramatúrgicos inéditos. Resgate importantíssimo.

Machismo
“Estava investigando as circunstâncias de ingresso de Rachel de Queiroz, que foi a primeira mulher a ocupar uma cadeira na ABL, o que se deu somente em 1977, quando, em minhas buscas no acervo da própria Academia, deparei-me com a instigante história da escritora carioca Júlia Lopes de Almeida. Embora se tratasse da escritora mais publicada da Primeira República e única mulher cogitada a integrar o quadro de membros fundadores da ABL, Júlia Lopes de Almeida protagonizou o primeiro vazio institucional feminino da agremiação”, conta Michele Asmar Fanini à coluna. Um absurdo.


Siga Miguel Arcanjo Prado no Facebook, no Twitter e no Instagram.

Please follow and like us:
The Crown mostra que Charles traiu Diana Caetano Veloso se emociona em show após morte de Gal Costa Prêmio Arcanjo de Cultura acontece no Teatro Sérgio Cardoso Gal Costa morre aos 77 anos Festival Satyrianas tem mil artistas na Praça Roosevelt