Sucesso no teatro, Karin Roepke elogia Edson Celulari: Marido participativo

Karin Ropeke: atriz brasiliense faz sucesso no teatro carioca em “Marido Ideal” – Foto: Divulgação

Por Miguel Arcanjo Prado

A atriz Karin Roepke comemora a temporada de sucesso do espetáculo “Marido Ideal”, de Oscar Wilde, no Teatro Dulcina, no Rio, e já espera ansiosa uma nova temporada da peça que conquistou o público carioca, além de torcer para viajar pelo Brasil com a obra.

Casada com Edson Celulari, o Dantas de “A Força do Querer”, ela conta que o marido a incentiva muito.

“O Edson é um homem de teatro e sempre me incentiva. Já fez muitas produções e percebe a dificuldade de se produzir atualmente. Em ‘Marido Ideal’ foi uma produção cooperativada, se fôssemos esperar edital e patrocínio iríamos perder o bonde do momento”, diz.

Karin Roepke e Edson Celulari: “Ele é marido participativo”, ela diz – Foto: Vinicius Mochizuki

Karin conta que Edson também lhe dá preciosas dicas: “Tendo vivido tantos personagens, ele adquiriu uma maturidade e profundidade de como aproveitá-los melhor”.

“Ele é o marido participativo, dá notas no final, dá dicas, fala ‘tal cena, você já pensou que pode se aprofundar dessa forma?’, ele me ajuda a enriquecer o personagem. É muito rica a troca que temos”, conta.

Karin Roepke em cena da peça “Marido Ideal”com o ator Marcio Malvarez – Foto: Christina Amaral

Segredos políticos

Sobre o espetáculo dirigido por Gilberto Gawronski, ela conta que “fala sobre o marido ideal, um político que tem a imagem do homem perfeito, virtuoso”. E complementa: “Mas um segredo pode sujar essa imagem de político honesto que ele tem, gerando um conflito na peça: ele diz ou não a verdade?”.

Karin faz a esposa do tal político, Gertrudes, “uma mulher corretíssima”: “Brinco que seria a bela, recatada e do lar, mas não é bem assim”. Para a atriz a obra dialoga com a crise política atual. “Na peça sempre há uma carta que revela segredos e incrimina personagens, hoje seriam gravações de celulares, e-mails. A peça levanta interessantes questões éticas atuais”.

Equipe da peça “Marido Ideal”: sucesso no Rio – Foto: Christina Amaral

Apesar de questionar aspectos morais da sociedade, Karin ressalta que o espetáculo é leve: “Fazer um clássico é sempre um passo importante na carreira de um ator, dizer um texto com um vocabulário rico, que não estamos acostumados a usar no dia a dia”.

Brasília, SP e Rio

Nascida em Brasília e moradora de São Paulo por muitos anos, onde foi descoberta por nomes como Wolf Maya e Miguel Falabella — ela fez na capital paulista espetáculos musicais de sucesso como “Garota Glamour”, “Os Produtores” e “Hairspray”, Karin diz que precisou se adaptar ao Rio.

Karin Roepke ao lado da colega Bruna Guerin no musical “Garota Glamour”, que a lançou nos palcos em 2007, em São Paulo, no Teatro Nair Bello – Foto: Silvia Santana

“Apesar da violência, porque na rua é um estado constante de tensão, a natureza ao redor serve como filtro, limpa seu olhar, sua mente, te conecta com o universo, o sol, o verde, o mar te traz um estado de relaxamento”, fala sobre a capital fluminense.

“Para mim, uma pessoa de Brasília, que morou em São Paulo, teve um processo de adaptação ao ‘carioca of life’: Tive de adquirir um despojamento e um descompromisso, coisa que conviver com os moradores daqui proporciona”, conclui.

Siga Miguel Arcanjo Prado no Facebook, no Twitter e no Instagram.

Please follow and like us: