Com 15 mil pessoas, CineOP foca na preservação do cinema brasileiro

O ator Antonio Pitanga, que participou da 12ª CineOP, em Ouro Preto, Minas Gerais – Foto: Leo Lara/Universo Produção

Por Miguel Arcanjo Prado

Após seis dias com o cinema brasileiro em foco, chegou ao fim nesta segunda (26) a 12ª CineOP – Mostra de Cinema de Ouro Preto. Cerca de 15 mil pessoas participaram das atividades do evento, segundo a Universo Produção, responsável pela mostra.

“Um dos diferenciais desta CineOP foi a união e a maturidade do setor da preservação em diálogo com a educação. Os profissionais do audiovisual, da preservação e acadêmicos aturam de maneira coletiva e compartilhada para enfrentar os desafios em busca de avanços e convergências entre cinema e educação”, fala a coordenadora geral da CineOP e diretora da Universo Produção, Raquel Hallak.

O encontro, já tradicional no calendário cinematográfico, discute a preservação do patrimônio audiovisual do Brasil. Neste ano, o tema foi “Quem conta a história do cinema brasileiro?”.

Público assiste ao filme “Pitanga”, exibido ao ar livre em Ouro Preto – Foto: Leo Lara/Universo Produção

Foram exibidos 76 filmes (13 longas, 4 médias e 59 curtas) vindos de 11 estados (RJ, SP, PE, RS, AC, MG, ES, DF, AM, PR, GO) e 2 países (Brasil e Cuba), divididos em mostras temáticas: Histórica, Preservação, Contemporânea, Educação, Mostrinha e Cine-Escola.

Além de exibições de filmes, como “Pitanga”, que conta a trajetória do ator Antonio Pitanga sob direção de Camila Pitanga e Beto Brant, houve ainda debates, oficinas, cortejo da arte, exposição, performance audiovisual, lançamento de livros e shows.

Foram homenageados o pesquisador, colecionador e dicionarista Antonio Leão, a montadora Cristina Amaral e o projeto Vídeo nas Aldeias, idealizado pelo indigenista e documentarista Vicent Carelli.

A montadora Cristina Amaral e o curador Francis Vogner dos Reis – Foto: Beto Staino/Universo Produção

Durante o evento foi elaborado o Plano Nacional de Preservação Audiovisual, documento fruto de um trabalho coletivo elaborado durante as edições da CineOP como parte integrante da programação do Encontro Nacional de Arquivos e Acervos Audiovisuais Brasileiros.

Participaram da elaboração do Plano os membros da ABPA – Associação Brasileira de Preservação Audiovisual, fundada na 3ª CineOP, em 2008, e preservadores audiovisuais de todo o Brasil.

Participantes do 12º Encontro Nacional de Arquivos e Acervos Audiovisuais e do Encontro da Educação do IX Fórum da Rede Kino – Foto: Leo Lara/Universo Produção

O Cine-Expressão, programa socioeducacional-cultural que une as linguagens educação e cultura, com foco na formação do cidadão a partir da utilização do audiovisual no processo pedagógico interdisciplinar, contou com a participação de 20 escolas da rede pública de ensino, beneficiando assim mais de 3.000 alunos e educadores. Foram realizadas nove sessões cine-escola e cine-debates, com 13 curtas e um longa, para crianças a partir de 5 anos e jovens a partir de 14.

Fernanda Hallak, Raquel Hallak e Quintino Vargas, responsáveis pela CineOP – Foto: Leo Lara/Universo Produção

Siga Miguel Arcanjo Prado no Facebook, no Twitter e no Instagram.

Você pode gostar...