Após musical na China, Sara Sarres volta aos braços de Miguel Falabella

Sara Sarres em “O Homem de la Macha”, no Teatro Alfa, em SP – Foto: João Caldas

Por Miguel Arcanjo Prado

Sara Sarres é uma das principais estrelas do gênero teatro musical no Brasil e no mundo. Atualmente, é a protagonista feminina da superprodução “O Homem de la Mancha”, dirigida por Miguel Falabella, no Teatro Alfa, em São Paulo.

A obra levou o APCA de melhor espetáculo e melhor ator para Cleto Baccic em 2014 e está de volta aos palcos. Nela, Sara dá vida à personagem Dulcineia, na sua 16ª produção seguida como atriz.

A nova temporada do espetáculo também marca a volta de Sara ao Brasil, após protagonizar o musical “O Fantasma da Ópera” em Pequim, no ano passado.

A artista brasiliense, que também já atuou em musicais como “Les Misérables”, “West Side Story” e “Cats”, conversou com o Blog do Arcanjo do UOL sobre a experiência internacional, o trabalho com Falabella e planos para o futuro.

Leia com toda a calma do mundo.

Sara Sarres: 16 espetáculos seguidos como atriz – Foto: Carlo Locatelli

Miguel Arcanjo Prado – Como você define o Miguel Falabella como diretor?
Sara Sarres – Miguel é o diretor mais carinhoso e generoso que já trabalhei. Essa é minha terceira peça com ele e sempre achei impressionante como consegue extrair o melhor de cada um com tanta graça e doçura. É um encantador de atores.

Miguel Arcanjo Prado – Você ficou feliz de voltar a fazer “O Homem de la Mancha”?
Sara Sarres – Sim, super! Porque O Homem de La Mancha é uma peça que fala muito ao meu coração, tenho muita fé e esperança em um mundo mais quixotesco para vencer essa nossa realidade impossível no Brasil, e essa produção em especial é muito importante para mim.

Sara Sarres em “O Fantasma da Ópera” em Pequim – Foto: Divulgação

Miguel Arcanjo Prado – Você é uma das maiores estrelas dos musicais aqui no Brasil. Qual loucura um fã já fez por você?
Sara Sarres – Ir até Pequim me assistir em “O Fantasma da Ópera”.

Miguel Arcanjo Prado – Como é fazer musicais fora do Brasil? Como foi para você trabalhar na China?
Sara Sarres – Para mim foi maravilhoso. Ver como as coisas funcionam, entender o comportamento organizacional de uma das maiores empresas inglesas de teatro. Beber da fonte. Aprendi muito e fui imensamente feliz. Trabalhar na China foi tranquilo, como éramos uma companhia internacional, estávamos sempre muito bem amparados e protegidos. Eu amo viajar e conhecer novos lugares, então sempre que podia me desgarrava e aventurava para conhecer tudo o que podia. Acho que ja posso até virar guia por lá!

Miguel Arcanjo Prado – Quais são seus projetos futuros?
Sara Sarres – Atualmente tenho me dedicado bastante ao Studio S, meu estúdio de preparação para atores e aspirantes interessados em teatro musical e alta performance vocal [saiba mais sobre o projeto e a carreira da atriz].

Miguel Arcanjo Prado – Você tem vontade de fazer cinema e TV?
Sara Sarres – Sim. Como nos últimos tempos estive em cartaz protagonizando grandes espetáculos, sempre fui muito comprometida em não faltar nenhuma sessão, sendo então impossível conciliar. Mas, sempre foi um grande sonho fazer cinema e TV. Agora, após a decima sexta temporada de teatro seguida, acho que já é hora de criar coragem e me aventurar em novas mídias. Com a temporada do “Fantasma” virei membro do Sindicato Britânico de Atores e hoje sou agenciada também em Londres, onde aproveitei para estudar e me reciclar em teatro, cinema e televisão.

Siga Miguel Arcanjo Prado no Facebook, no Twitter e no Instagram.

Você pode gostar...