Crise política no Brasil inspira versão de “La Estupidez”

Policiais brucutus na verdade são gays enrustidos na peça - Foto: Edson Lopes Jr.

Policiais brucutus na verdade são gays enrustidos na peça – Foto: Edson Lopes Jr.

Por Miguel Arcanjo Prado

Histórias diferentes se cruzam em um motel de beira de estrada no deserto de Las Vegas, nos Estados Unidos, em plenos anos 1980. Todas tendo como detonador a ganância do ser humano, foco da comédia “La Estupidez”, em cartaz no Teatro Porto Seguro, em São Paulo.

O texto original é do argentino Rafael Spregelburd, que foi condensado na versão brasileira assinada pelo diretor Otávio Martins. Ele conseguiu resumir em 90 minutos as mais de três horas de duração do texto original, premiado na Alemanha.

Martins conta ao Blog do Arcanjo do UOL que conheceu a peça há cinco anos, em uma leitura em São Paulo. Para ele, é “uma farsa que aos poucos se transforma em tragédia, com um humor politicamente incorreto e muito ácido levado ao limite”.

E ele tem razão. Mafiosos inescrupulosos, uma dupla de policiais homossexuais enrustidos e corruptos e um ator fracassado que não suporta mais cuidar da irmã tetraplégica estão entre os muitos personagens que se valem de um talentoso e versátil elenco.

O diretor Otávio Martins - Foto: Edson Lopes Jr.

O diretor Otávio Martins – Foto: Edson Lopes Jr.

Marcello Airoldi, Juliana Araripe, Cris Wersom, Thiago Adorno e Thiago Albanese se destacam no palco em ritmo ágil de troca de personagens – cada um interpreta cerca de cinco papéis. “É um elenco heterogêneo, com referências muito diversas, que trabalhou para naturalmente chegar a uma mesma linguagem”, elogia o diretor.

Martins também afirma gostar do “formato inevitavelmente kitsch” da peça, “que possibilita uma grande brincadeira com as trocas de cenas”.

Os três meses de ensaios com o elenco brasileiro trouxeram novas leituras à ganância presente no texto. Segundo Martins, “os últimos meses do Brasil, com toda a questão sócio-político-econômica” e a “grave crise institucional que vivemos” acabaram inspirando esta montagem.

“Surgiu um outro tema, a intolerância – o que abriu caminho para outros horizontes na encenação, sempre dentro do universo, da trama e dos personagens de Spregelburd”, afirma o diretor.

Ele aproveita para elogiar o farto material que seu elenco lhe trouxe. “Todo o trabalho de encenação e adaptação veio a partir de propostas de improvisação do elenco, fosse na composição de personagens, fosse num espelhamento que eles encontrassem com aquilo que estamos vivenciando no Brasil”, conclui Martins.

"La Estupidez" é comédia ácida e politicamente incorreta - Foto: Edson Lopes Jr.

“La Estupidez” é comédia ácida e politicamente incorreta – Foto: Edson Lopes Jr.

“La Estupidez” * * *
Avaliação: Bom
Quando: Quarta e quinta, 21h. 90 min. Até 8/12/2016
Onde: Teatro Porto Seguro – Al. Barão de Piracicaba, 740, Campos Elíseos, São Paulo, tel. 11 3226-7300
Quanto: R$ 40 a R$ 60
Classificação etária: 14 anos

Siga Miguel Arcanjo Prado no Facebook, no Twitter e no Instagram.

Você pode gostar...