Página do Teatro Oficina é removida do Facebook

Zé Celso em "Pra Dar Um Fim no Juízo de Deus": conta removida do Facebook - Foto: Gabi Cerqueira

Zé Celso em “Pra Dar Um Fim no Juízo de Deus”: conta removida do Facebook – Foto: Gabi Cerqueira

Por Miguel Arcanjo Prado

Os integrantes do Teat(r)o Oficina foram surpreendidos pela remoção da página profissional da companhia da rede social Facebook. O Oficina é um dos principais grupos de teatro do Brasil e do mundo, sob comando desde 1958 pelo diretor José Celso Martinez Corrêa, o Zé Celso, considerado pela crítica especializada um dos mais importantes artistas do país.

Desde o último domingo (7), a página do grupo, que tinha 33 mil curtidas, está fora do ar. Na quinta (4), a página da companhia já havia saído do ar, quando uma foto que mostrava uma mulher sem camisa, com mamilos descobertos, foi denunciada por um usuário.

Segundo contam os artistas, “a administração do Facebook ofereceu a possibilidade de contestação e recomendou que fosse retirado todo o conteúdo que contivesse nudez antes de clicar em contestar”, advertindo, no ato, a possibilidade de ficarmos sem a página definitivamente.

Os artistas afirmam ter feito este procedimento, como indicado. “Foi seguido esse protocolo, que gerou outro aviso, pedindo que tivéssemos paciência enquanto era analisada a conta”, contam.

Contudo, tiveram a surpresa no domingo (7) ao ver a página removida.

Zé Celso está à frente do Oficina desde 1958: sem comunicação - Foto: Gabi Cerqueira

Zé Celso está à frente do Oficina desde 1958: sem comunicação – Foto: Gabi Cerqueira

“Corpo protagonista”

O grupo questionou a decisão em comunicado.  “Entendemos que o Facebook é uma empresa privada, que possui seus termos de conduta. Mas questionamos o tribunal que interpreta as fotos e fatos como pornografia. A companhia Teatro Oficina Uzyna Uzona existe desde 1958, é a companhia de teatro há mais tempo em atividade ininterrupta do país, sempre renovando sua linguagem estética a partir do tempo presente. O corpo sempre foi protagonista nas encenações”, afirmam os artistas.

Eles ainda lembram que “a nudez sempre esteve presente” em seus trabalhos, que têm como “um dos principais vértices a liberdade do corpo”.

O Oficina ainda recorda que sua sede é tombada como patrimônio histórico e artístico pelo IPHAN (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional) e que seu teatro foi eleito o mais belo do mundo em lista publicada pelo jornal inglês The Guardian.

“Não fazer distinção entre arte, liberdade do corpo e conteúdo pornográfico demonstra uma cultura muito limitada por parte dos gestores da comunidade Facebook”, dizem os artistas, que pedem a página de volta com seus mais de 30 mil fãs.

Teatro Oficina, eleito o mais belo pelo The Guardian: sem Facebook - Foto: Mário Pizzi

Teatro Oficina, eleito o mais belo pelo The Guardian: sem Facebook – Foto: Mário Pizzi

Fãs seguidores

“A grande maioria dos seguidores era composta pelo público que nos assistiu presencialmente em espetáculos na sede no bairro do Bixiga ou em viagens pelo Brasil e pelo mundo […] Além do papel fundamental de divulgação dos espetáculos e eventos do teatro, nesse momento em que cada vez há menos espaço nos jornais impressos dedicados à cultura, nossa página é também um importante canal de difusão de conteúdo de Antropofagia, e dos temas presentes nas montagens”, afirma o grupo.

“O corte seco da censura deflagra uma violência enorme, de pensamento único, contra os próprios corpos, contra a arte, contra a liberdade. Nesse momento onde é viva a primavera feminina e feminista, onde se questiona a cultura do estupro e a liberdade do corpo da mulher, é um retrocesso gigantesco a suspensão desse canal de mídia por causa dos mamilos femininos”, dizem.

Outro lado

O Blog do Arcanjo do UOL procurou a assessoria de imprensa do Facebook, para saber se a rede social pretendia reativar a página do Teatro Oficina. Sem responder a esta questão, o Facebook enviou a seguinte nota sobre o caso:

“Os brasileiros acessam o Facebook para se conectar com as pessoas e os assuntos que mais importam para eles, e trabalhamos para manter um ambiente saudável onde as pessoas se expressem criativamente. Para isso, desenvolvemos uma série de Padrões da Comunidade que determina o que é permitido ou não na plataforma, tomando o cuidado de respeitar a sensibilidade de algumas pessoas com culturas e idades diferentes, o que inclui restrições a conteúdos de nudez, como pessoas exibindo órgãos genitais ou com foco em nádegas totalmente expostas e mamilos. Nós dependemos de nossa comunidade para denunciar conteúdos que possam ter ferido nossas políticas e todo conteúdo denunciado é analisado por uma equipe de profissionais que trabalha 24 horas por dia, 7 dias por semana.”

Zé Celso ao lado da atriz Nash Laila no Teatro Oficina: fora do ar - Foto: Jennifer Glass

Zé Celso ao lado da atriz Nash Laila no Teatro Oficina: fora do ar – Foto: Jennifer Glass

Siga Miguel Arcanjo Prado no Facebook, no Twitter e no Instagram.

Please follow and like us: