★★★★★ Crítica: Fernanda Montenegro lê Simone de Beauvoir em aula magna de teatro no Sesc 14 Bis

Fernanda Montenegro lê Simone de Beauvoir no Sesc 14 Bis em aula magna de teatro © Matheus José Maria Divulgação Sesc Blog do Arcanjo 2024

Por MIGUEL ARCANJO PRADO
@miguel.arcanjo

★★★★
FERNANDA MONTENEGRO LÊ SIMONE DE BEAUVOIR
Avaliação: Ótimo
Crítica por Miguel Arcanjo Prado

Não é todo dia que você está diante de Fernanda Montenegro no teatro. Afinal, trata-se de uma das maiores atrizes da história e única brasileira indicada ao Oscar — que deveria ter sido dela, todos concordamos, pela atuação lendária em Central do Brasil. Às vésperas de completar 95 anos, com uma vitalidade ímpar, ela sobe ao palco do Sesc 14 Bis, em São Paulo, em Fernanda Montenegro Lê Simone de Beauvoir, com dramaturgia e direção da própria e com ingressos esgotadíssimos e fila de espera a cada sessão A artista mergulha mais uma vez na obra da filósofa francesa Simone de Beauvoir (1908-1986), marco do pensamento feminista e ícone de sua geração, a quem já havia interpretado em Viver sem Tempos Mortos em 2009 e que fez grandiosa temporada, inclusive pelos CEUs de São Paulo, nas periferias de nossa maior metrópole. Mais uma vez, Fernanda Montenegro presenteia o público com uma aula magna de atuação neste espetáculo-leitura, no qual passeia por todas as cadências possíveis das palavras de Simone que eclodem em sua boca, com a segurança de quem teceu toda uma vida ao ofício de atriz. A atriz tem o domínio exato do tempo, do texto e do espaço, mesmo sentada em uma cadeira, diante de uma mesa, onde apoia o calhamaço de papéis que vai passando um a um à medida que a vida de Simone avança na efervescente Paris do já saudoso e analógico século 20. Junto de Fernanda na atmosfera extasiante que ela cria, o público atravessa a infância, a adolescência e a juventude da filósofa, suas descobertas, suas aventuras, seu sexo. Passa pelo horror da Segunda Guerra Mundial e pela satisfação da juventude contestatória do Maio de 1968 que sacudiu a França e mudou o mundo. Com o filófoso Jean-Paul Sartre (1905-1980) sempre por perto, Simone caminha uma vida intensa até se aproximar da finitude do companheiro intelectual de toda uma vida e de seu próprio fim, repleto de novas redescobertas. Fernanda Montenegro consegue impor de forma cristalina o ritual catártico do teatro, que ganha ainda mais peso por ser ela uma figura de tamanha envergadura, uma espécie de unanimidade nacional. Diante desta obra monumental e epifânica em sua simplicidade sofisticada, percebemos que, se o Brasil deve ter orgulho de alguém, esse alguém se chama Fernanda Montenegro. Sorte daqueles que podem vê-la e aplaudi-la de pé.

★★★★
FERNANDA MONTENEGRO LÊ SIMONE DE BEAUVOIR
Avaliação: Ótimo
Crítica por Miguel Arcanjo Prado

Ingressos esgotados, mas há fila de espera por desistentes a cada sessão no Sesc 14 Bis

Fernanda Montenegro lê Simone de Beauvoir e é ovacionada no Sesc 14 Bis em aula magna de teatro © Matheus José Maria Divulgação Sesc Blog do Arcanjo 2024
Fernanda Montenegro lê Simone de Beauvoir e é ovacionada no Sesc 14 Bis em aula magna de teatro © Matheus José Maria Divulgação Sesc Blog do Arcanjo 2024

Siga @miguel.arcanjo no Instagram

Ouça Arcanjo Pod no Spotify

Blog do Arcanjo no YouTube

O atributo alt desta imagem está vazio. O nome do arquivo é miguel-arcanjo-prado-foto-edson-lopes-jr.jpg

Jornalista cultural influente e respeitado no Brasil, Miguel Arcanjo Prado é CEO do Blog do Arcanjo, fundado em 2012, e do Prêmio Arcanjo, desde 2019. É Mestre em Artes pela UNESP, Pós-graduado em Mídia e Cultura pela ECA-USP, Bacharel em Comunicação pela UFMG e Crítico da APCA – Associação Paulista de Críticos de Artes, da qual foi vice-presidente. Coordena a Extensão Cultural da SP Escola de Teatro e apresenta o Arcanjo Pod. Eleito três vezes um dos melhores jornalistas culturais do Brasil pelo Prêmio Comunique-se. Passou por Globo, Record, R7, Record News, Folha, Abril, Huffpost Brasil, Notícias da TV, Contigo, Superinteressante, Band, CBN, Gazeta, UOL, UMA, OFuxico, Rede TV!, Rede Brasil, Versatille, TV UFMG e O Pasquim 21. Integra o júri de Prêmio Arcanjo, Prêmio Jabuti, Prêmio Governador do Estado de São Paulo, Prêmio Sesc Melhores Filmes, Prêmio Bibi Ferreira, Prêmio Destaque Imprensa Digital, Prêmio Guia da Folha e Prêmio Canal Brasil de Curtas. Vencedor do Troféu Nelson Rodrigues, Prêmio Destaque em Comunicação Nacional ANCEC, Troféu Inspiração do Amanhã, Prêmio África Brasil, Prêmio Leda Maria Martins e Medalha Mário de Andrade do Prêmio Governador do Estado, maior honraria na área de Letras de São Paulo.
Foto: Edson Lopes Jr.
© Blog do Arcanjo – Entretenimento por Miguel Arcanjo Prado | Todos os direitos reservados.

Please follow and like us:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *