Grace Gianoukas homenageia Dercy Gonçalves no teatro com solo Nasci para Ser Dercy, de Kiko Rieser

Nasci para Ser Dercy tem Grace Gianoukas em texto e direção de Kiko Rieser no Teatro Itália Bandeirantes – Foto: Heloisa Bortz – Blog do Arcanjo

Por MIGUEL ARCANJO PRADO
@miguel.arcanjo

Dercy Gonçalves é uma das maiores atrizes do século 20. Ela nos deixou há 15 anos, em 2008, aos 101 anos, sem que jamais tenha havido nos palcos brasileiros uma peça que a homenageasse. Até agora! O monólogo Nasci pra ser Dercy, com Grace Gianoukas, escrito e dirigido por Kiko Rieser, busca unir o apelo popular e o carisma da atriz a uma profunda pesquisa que mostra a importância, muitas vezes ignorada, da atriz para o teatro brasileiro e para a liberdade feminina, bem como sua inquestionável singularidade. A estreia acontece nesta sexta dia 13 de janeiro, no Teatro Itália Bandeirantes, em curta temporada. Miguel Falabella faz participação especial em voz off.

Dercy não cabia em rótulo algum. Desbocada e defensora da mais profunda liberdade, era muito recatada em sua vida íntima, chegando a se casar e enviuvar anos depois ainda virgem. Contestava frontalmente a censura da ditadura militar, mas se recusava terminantemente a levantar bandeiras políticas específicas que não fossem a da irrestrita liberdade e do respeito a todas as formas de existir.

A atriz se consagrou como vedete do Teatro de Revista, mas sua maior contribuição ao nosso teatro se deu ao levar essa expertise para a comédia popular, que ela revolucionou inteiramente, trazendo textos fundamentais para o Brasil e instaurando uma nova forma de interpretar, que rompia com todos os padrões e inaugurava em nossos palcos uma representação genuinamente brasileira. Amada por quase todo o país, Dercy Gonçalves é uma figura largamente reconhecida, mas pouco conhecida de fato.

“Dercy Gonçalves é retratada quase sempre como apenas uma velha louca que falava palavrão”, fala Kiko Rieser, que no texto procura revelar ao público a mulher grandiosa e complexa que ela foi. “Uma atriz vinda do teatro de revista que recriou a comédia brasileira. Uma mulher que era chamada de puta, mas que casou e enviuvou virgem, iconoclasta e devota, libertária mas avessa a qualquer bandeira, inclassificável e singular”, completa o autor.

Sinopse

A peça começa com uma atriz, Vera, entrando no estúdio para fazer teste para o papel de Dercy Gonçalves em um filme. Conforme vai dando suas falas, ela se revolta contra o roteiro, cheio de estereótipos. Sua mãe era grande fã de Dercy e por isso Vera cresceu conhecendo e sendo influenciada pelo exemplo dessa artista icônica. Ela então, transformando-se em Dercy, começa a mostrar quem realmente foi essa mulher à frente de seu tempo.

Nasci pra ser Dercy

Texto e direção: Kiko Rieser

Atuação: Grace Gianoukas

Voz off: Miguel Falabella

Estreia dia 13 de janeiro

Temporada até 26 de fevereiro

Sexta e sábado 21h

Domingo 19h

Indicação 14 anos

Duração: 60 min

Ingressos:

Preços populares até o dia 5 de fevereiro: R$ 50

De 10 a 26 de fevereiro: R$ 80

Ingressos online: https://bileto.sympla.com.br/event/79211/d/172771/s/1162490

Horário Bilheteria

Terça a sábado, das 17h às 21h

Domingo, das 16h às 21h, ou até o início do espetáculo

Teatro Itália Bandeirantes – 292 lugares

Av. Ipiranga, 344 – República – São Paulo

FICHA TÉCNICA

Texto e direção: Kiko Rieser

Atuação: Grace Gianoukas

Voz off: Miguel Falabella

Cenário e figurino: Kleber Montanheiro

Desenho de luz: Aline Santini

Trilha sonora original e arranjos: Mau Machado

Canção “Malandrinha”: Freire Júnior

Canção-tema “Só sei ser Dercy”: Danilo Dunas e Pedro Buarque

Visagismo: Eliseu Cabral

Assistência de direção: André Kirmayr

Preparação corporal: Bruna Longo

Preparação vocal: André Checchia

Colaboração no processo: Fernanda Lorenzoni

Assistência de figurino: Marcos Valadão

Cenotécnica: Evas Carreteiro

Design gráfico: Letícia Andrade (Nós Comunicações)

Assessoria de imprensa: Flavia Fusco Comunicação

Mídias sociais: Inspira Comunicação

Fotos: Heloísa Bortz

Direção de produção: Paulo Marcel

Produtores associados: Fábio Hilst e Kiko Rieser

Elaboração de projeto: Kiko Rieser

Assessoria jurídica: Ana Capozzi

Realização: Ventilador de Talentos

Siga @miguel.arcanjo

Inscreva-se no canal Blog do Arcanjo

O atributo alt desta imagem está vazio. O nome do arquivo é miguel-arcanjo-prado-foto-edson-lopes-jr.jpg

Respeitado jornalista cultural e crítico de artes do Brasil, Miguel Arcanjo Prado é CEO do Blog do Arcanjo, fundado em 2012, e do Prêmio Arcanjo, criado em 2019. É mestre em Artes pela UNESP, pós-graduado em Cultura pela ECA-USP, bacharel em Comunicação Social pela UFMG e crítico da APCA – Associação Paulista de Críticos de Artes, da qual foi vice-presidente. Coordena a Extensão Cultural e Projetos Especiais da SP Escola de Teatro e apresenta o Podcast do Arcanjo na OLA Podcasts. Eleito um dos melhores jornalistas de Cultura do Brasil pelo Prêmio Comunique-se por três vezes e recebeu a Medalha Mário de Andrade, maior honraria nas letras do Estado de São Paulo. Passou por Globo, Record, R7, Record News, Folha, Abril, Huffpost Brasil, Notícias da TV, Contigo, Superinteressante, Band, CBN, Gazeta, UOL, Uma, OFuxico, Rede TV!, Rede Brasil, Versatille, TV UFMG e O Pasquim 21. É jurado das premiações Prêmio Arcanjo, Sesc Melhores Filmes, Prêmio Bibi Ferreira, Prêmio Destaque Imprensa Digital, Melhores do Ano Guia da Folha, Prêmios ANCEC e Prêmio Canal Brasil de Curtas. É vencedor do Troféu Nelson Rodrigues, Prêmio Destaque em Comunicação Nacional ANCEC, Troféu Inspiração do Amanhã, Prêmio África Brasil e Prêmio Governo do Estado de São Paulo – Medalha Mário de Andrade.
Foto: Edson Lopes Jr.
© Blog do Arcanjo – Entretenimento e Cultura por Miguel Arcanjo Prado | Todos os direitos reservados.

O atributo alt desta imagem está vazio. O nome do arquivo é podcast-do-arcanjo.jpg
Please follow and like us:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Harry e Meghan na Netflix Michael Jackson: Thriller faz 40 anos Marina Sena lança música com Gal Costa Crítica | Anitta maceta sons do Brasil no álbum À Procura da Anitta Perfeita e supera críticas com hits do verão Brasil e Argentina se beijam na Copa do Mundo do Qatar 2022