5X Comédia estreia no Amazon Prime Video como 1ª ficção original nacional

Por Miguel Arcanjo Prado

A série brasileira Original Amazon 5X Comédia terá sua estreia em 26 de março na Amazon Prime Video. A série é baseada na franquia teatral de mesmo nome e se torna a primeira ficção nacional original do serviço de streaming a estrear.

Partindo de diferentes pontos de vista, 5X Comédia aborda questões como sexo, trabalho, relacionamentos, família, solidão, medo  e desejo de viver em estado de isolamento.

Questões como as diferenças de classes e privilégios da nossa sociedade também estão presentes na série, ampliando o debate e trazendo mais diversidade ao projeto. Com diálogos ágeis e humor muitas vezes ácido, os episódios também trazem momentos de emoção. 

Com cinco episódios, o formato originalmente idealizado por Sylvia Gardenberg em 1995 para o teatro agora ganha uma produção original feita por sua irmã, a cineasta Monique Gardenberg, em histórias que expõem situações-limite causadas pelo isolamento.

O Blog do Arcanjo adianta a sinopse de cada episódio.

HIPOCONDRÍACO
Mais que o medo do vírus ou da quarentena, é a paranoia do homem da casa que aflige o cotidiano de uma família reclusa. Hipocondríaco, obcecado por precauções, notícias e maneiras que o ajudem a manter todos com saúde, João (Gregório Duvivier) comanda uma estratégia de guerra de sua suíte, onde se trancou sozinho desde que apresentou um leve, mas suspeito, sintoma da Covid-19. Obrigados a um isolamento ainda mais radical dentro da própria casa, uma mulher irritada pela falta de sexo, uma mãe idosa inconformada com a perda de liberdade e um filho pré-adolescente carente dos amigos insistem em desafiar as regras impostas.

SEM SAÍDA

Um casal jovem em plena paixão é tragado ao isolamento por conta da pandemia, no início do relacionamento. Gabi (Thati Lopes) e Lucas (Victor Lamoglia) – ela professora infantil e ele arquiteto em seus 30 anos – passam subitamente a morar juntos e parecem felizes da vida com a decisão. Um mês depois da convivência forçada, porém, estão prestes a se separar. Agora, nada mais parece ser como antes, inclusive na cama. O jeito é apelar para uma terapia de casal online e recordar os primeiros dias de puro amor, companheirismo e reclusão. 


SEXO ONLINE

Claudia (Martha Nowill) e Chico (Luiz Braga) vivem na prática o ditado “quando a falta de dinheiro entra pela porta, o amor sai pela janela”. Ela está grávida de gêmeos e acaba de ser demitida do emprego por meio de uma reunião virtual. Ele, compositor sem talento e músico de ocasião, está impedido de trabalhar nos bares e festas que traziam o seu sustento. Juntos fazem as contas, e Claudia se desespera com as despesas de aluguel, cartão de crédito, consórcio, mercado, e, pior, enxoval dos bebês. É quando ela tem uma ideia surreal que choca o marido: se exibir como webgirl e fazer sexo virtual com clientes, pelo computador. Nada que já não existisse no antigo normal, assim como o machismo e o ciúme de Chico, mas agora Claudia está pronta para virar o jogo.

CINDERELA

Robinson (Yuri Marçal) é o protótipo do brasileiro pobre e morador de uma pequena casa em um morro carioca. Com família numerosa e barulhenta, é pego de surpresa pela pandemia, já que sua moradia não oferece condições mínimas para a nova realidade de home office. Fera em tecnologia, mas com ambição de se tornar criador de conteúdo numa produtora badalada, o rapaz gay e de lábia malandra aproveita um pedido indecente da chefe, e aproveita para ter algum sossego na mansão vazia e posar de milionário nas redes sociais em busca de ‘likes’. Pressionado por Jaqueline (Roberta Rodrigues), sua irmã médica e envolvida na linha de frente do tratamento de pacientes de Covid-19, a não trair a sua origem, a vida de Cinderela de Robinson começa a perder o sentido quando conhece um crush com o codinome “Príncipe” num aplicativo de encontros.

COLAPSO

Em um prédio de luxo que poderia se chamar Brasil estão as duas pontas simbólicas da mesma situação onde todos estamos nessa pandemia. Ou quase o mesmo. Na cobertura vive Edgar (Gabriel Godoy), profissional bem sucedido do mercado financeiro, enfastiado com a quarentena, aflito com o sobe e desce das bolsas internacionais. Na portaria está Zezinho (Rafael Portugal), zelador do prédio, saudoso da mulher, Maria (Samantha Schmütz), que não vê faz tempo. Para não colocar a vida deles em risco em transportes públicos, decidem que é melhor Zezinho viver esse período num quartinho do edifício. Maria permanece em casa e, como apenas uma patroa segue pagando o seu salário de diarista, costura máscaras de proteção para vender e doar para a comunidade. Mas a segurança deles parece entrar em perigo quando Edgar passa a pedir ao porteiro ajudas constantes com suas necessidades sempre urgentes.

Siga @miguel.arcanjo!

Ouça o Podcast do Arcanjo!

+ Artistas, Cultura e Entretenimento

O atributo alt desta imagem está vazio. O nome do arquivo é miguel-arcanjo-prado-foto-edson-lopes-jr.jpg

Miguel Arcanjo Prado é jornalista, mestre em Artes pela UNESP, pós-graduado em Mídia, Informação e Cultura pela ECA-USP e bacharel em Comunicação Social pela UFMG. Eleito três vezes pelo Prêmio Comunique-se um dos melhores jornalistas de Cultura do Brasil. Nascido em Belo Horizonte, vive em São Paulo desde 2007. É crítico da APCA, da qual foi vice-presidente. Passou por Globo, Record, Folha, Contigo, Editora Abril, Gazeta, Band, Rede TV e UOL, entre outros. Desde 2012, faz o Blog do Arcanjo, referência no jornalismo cultural. Em 2019 criou o Prêmio Arcanjo de Cultura no Theatro Municipal de SP. É coordenador de Extensão Cultural e Projetos Especiais da SP Escola de Teatro, colunista do Notícias da TV e faz o Podcast do Arcanjo em parceria com a OLA Podcasts. Foto: Edson Lopes Jr.

O atributo alt desta imagem está vazio. O nome do arquivo é podcast-do-arcanjo.jpg
Please follow and like us:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *