Conheça os filmes vencedores do 28º Festival Mix Brasil

Por Miguel Arcanjo Prado

O filme Valentina, de Cássio Pereira dos Santos, foi eleito melhor filme pelo júri e pelo público do 28º Festival Mix Brasil, que apresenta ao público a nova safra de filmes com temática LGBTQIA+. A cerimônia de premiação foi feita ao vivo no canal do evento no YouTube neste domingo (22), apresentada por André Fischer e Josi Geller. O filme ainda recebeu prêmios de Melhor Interpretação, vencido pela atriz Thiessa Woinbackk, e de Melhor Roteiro, escrito pelo diretor do filme. O filme conta a história de Valentina (Thiessa Woinbackk), uma jovem trans que se muda para o interior de Minas com a mãe (Guta Stresser), mas acaba tendo problemas na escola na qual se matricula ao tentar usar o nome social e a direção exige a assinatura do pai (Rômulo Braga). O longa fez sua estreia mundial no Outfest Los Angeles, onde a protagonista Thiessa Woinbackk recebeu o Grande Prêmio de Melhor Interpretação. Também foi exibido na 44ª Mostra Internacional de Cinema de São Paulo, no qual recebeu o prêmio de melhor filme pela escolha do público e a atriz Thiessa Woinbackk recebeu uma menção honrosa do júri. O Blog do Arcanjo mostra, a seguir, a lista completa de vencedores do Festival Mix Brasil 2020.

Coelho de Ouro – Prêmio do Júri da Mostra Competitiva Brasil
Melhor Curta-Metragem Brasileiro: A MORDIDA, de Pedro Neves Marques
Melhor Longa-Metragem Brasileiro: VALENTINA, de Cássio Pereira Dos Santos

INCENTIVO: O longa e o curta premiados com o Coelho de Ouro também receberão os prêmios DOTCINECTAV e MISTIKA de incentivo à realização de seus novos projetos audiovisuais através da parceria do Festival Mix Brasil com apoiadores da área cinematográfica.

Coelho de Prata – Prêmio do Júri da Mostra Competitiva Brasil para Curtas-metragens
Melhor Direção: Victor di Marco e Márcio Picoli, por O QUE PODE UM CORPO?
Melhor Roteiro: Matheus Farias e Enock Carvalho, por INABITÁVEL
Melhor Interpretação: Luciana Souza, por INABITÁVEL
Menção Honrosa: Castiel Vitorino Brasileiro, de INABITÁVEIS

Coelho de Prata – Prêmio do Júri da Mostra Competitiva Brasil para Longas-metragens
Melhor Direção: Coraci Ruiz, por LIMIAR
Melhor Roteiro: Cássio Pereira Dos Santos, por VALENTINA
Melhor Interpretação: Thiessa Woinbackk, por VALENTINA
Menção Honrosa: MÃES DO DERICK, de Dê Kelm

Coelho de Prata – Prêmio do Público
Melhor Curta-Metragem Nacional: LETÍCIA, MONTE BONITO, 04, de Julia Regis
Melhor Curta-Metragem Internacional: CAUDA DE SEREIA, de Alba Barbé i Serra (Espanha)
Melhor Longa-Metragem Nacional: VALENTINA, de Cássio Pereira Dos Santos
Melhor Longa-Metragem Internacional: PEQUENA GAROTA, de Sébastien Lifshitz (França)

Prêmio Canal Brasil de Curtas: INABITÁVEIS, de Anderson Bardot
Prêmio SescTV: O QUE PODE UM CORPO?, de Victor di Marco e Márcio Picoli
Bolsa Ateliê Bucareste: Julia Leite, pela fotografia de LETÍCIA, MONTE BONITO, 04

PRÊMIO DRAMÁTICA

Coelho de Ouro – Prêmio Dramática – JúriO ARMÁRIO NORMANDO, de Janaina Leite­
Menção HonrosaMINI-BIUs, BILs, BIOs, de Andreya Sá, Carlos Jordão
Coelho de Prata – Prêmio Dramática – PúblicoRAINHA, de Guilherme Gonzalez

PRÊMIOS ESPECIAIS
Prêmio Ícone Mix: Marcia Pantera
Prêmio Mix Literário: CARTAS PARA LUÍSA, de Maria Freitas
Menção HonrosaPANACEIA, de Cecília Floresta
Prêmio Caio Fernando Abreu de LiteraturaALAGOAS AZUL, de Bruno Coelho
Prêmio Suzy Capó: Wallie Ruy, pela peça WONDER! VEM PRA BARRA PESADA
Prêmio Show do GongoLIPSYNC FOR YOUR LIFE, de Glauber Rodrigues
Prêmio Ida Feldman: Roberto Polastri

Miguel Arcanjo Prado é jornalista, mestre em Artes pela UNESP, pós-graduado em Mídia, Informação e Cultura pela ECA-USP e bacharel em Comunicação Social pela UFMG. Eleito três vezes pelo Prêmio Comunique-se um dos melhores jornalistas de Cultura do Brasil. Nascido em Belo Horizonte, vive em São Paulo desde 2007. É crítico da APCA, da qual foi vice-presidente. Passou por Globo, Record, Folha, Contigo, Editora Abril, Gazeta, Band, Rede TV e UOL, entre outros. Desde 2012, faz o Blog do Arcanjo, referência no jornalismo cultural. Em 2019 criou o Prêmio Arcanjo de Cultura no Theatro Municipal de SP. Em 2020, passou a ser Coordenador de Extensão Cultural e Projetos Especiais da SP Escola de Teatro e começou o Podcast do Arcanjo em parceria com a OLA Podcasts. Foto: Bob Sousa.

Siga @miguel.arcanjo

Ouça o Podcast do Arcanjo

Você pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *