Ismael Ivo encaixota bailarinos e promete impactar público do Municipal

Coreógrafo Ismael Ivo encaixota 34 bailarinos em estante no espetáculo “A Biblioteca de Babel”, que abre temporada do Balé da Cidade de São Paulo no Theatro Municipal – Foto: Divulgação – Blog do @miguel.arcanjo UOL

Um dos maiores nomes da literatura argentina, Jorge Luis Borges inspirou com seu conto homônimo o coreógrafo Ismael Ivo na criação de “A Biblioteca de Babel”. O espetáculo com 34 bailarinos abre a temporada 2020 do Balé da Cidade no palco do Theatro Municipal de São Paulo, prometendo impactar o público.

Após sessão para convidados na quinta (6), a obra estreia para o público no dia 7 de fevereiro, esta sexta, às 20h, seguindo com apresentações nos dias 8, 11, 12 e 13, sempre às 20h, e no dia 9 às 18h. Com preços populares, os ingressos variam de R$ 15 a R$ 60.

Em uma das cenas, o público verá os bailarinos arquivados em uma prateleira como se fossem livros, na concepção de Ivo ao lado do cenógrafo Marcel Kaskeline.

Segundo Ivo, a Biblioteca de Babel discute os princípios da comunicação, a evolução e o entendimento entre os homens. Ele lembra que, no momento em que os bailarinos “arquivados” quebram as prateleiras, há uma ideia de ruptura que faz alusão “ao livro individual que precisa ser aberto para que se descubra seu conteúdo, pois ali estão impressos todos os aspectos e informações: qualidades, defeitos, talentos, ajustes, desajustes e infinitas vivências do homem”, filosofa.

O objetivo é passar uma ideia de comunicação e tolerância para com o outro e as diferenças, algo tão necessário ao dividido Brasil contemporâneo. Afinal, é preciso romper as caixinhas das prateleiras e as bolhas sociais.

Não custa lembrar que sete anos atrás, Ivo fez “A Biblioteca del Corpo”, também inspirado em um conto de Borges, um de seus escritores favoritos.

E há um detalhe importante nesta temporada: alunos da Escola de Dança de São Paulo pertencente à Fundação Theatro Municipal, coordenada por Luiz Fernando Bongiovanni e que faz 80 anos em 2020, executarão na abertura a coreografia “Como um Sopro”, de Christiana Sarasidou, no palco da Sala de Espetáculos. Coisa boa.

>>> Siga @miguel.arcanjo

O coreógrafo Ismael Ivo no Theatro Municipal – Foto: Eduardo Knapp/Folhapress

Você pode gostar...