FGV revela impacto econômico do teatro musical em SP: conheça os dados

Estudo sobre impacto econômico do teatro musical foi feito pela Fundação Getúlio Vargas (FGV) a pedido da Sociedade Brasileira de Teatro Musical (SBTM)- Foto: Edson Lopes Jr. – @miguel.arcanjo UOL

A Coluna Miguel Arcanjo no UOL apresenta a seguir os resultados da pesquisa inédita “Impacto Econômico do Teatro Musical”, realizada pela FGV – Fundação Getúlio Vargas. Leia também reportagem sobre o impacto econômico da indústria dos musicais.

Pela primeira vez desde o surgimento deste setor, um estudo traçou um panorama completo da força significativa dos musicais, incluindo impacto total na economia, retorno sobre investimento via leis de incentivo à cultura, criação de empregos diretos e indiretos, e geração de impostos. No total, foram estudados 28 espetáculos musicais na cidade de São Paulo, que estiveram em cartaz durante o ano de 2018. O estudo indicou que, neste período, houve movimento de, aproximadamente, R$ 1 bilhão, somados os impactos diretos e indiretos.

Confira alguns dos principais dados extraídos da pesquisa:

Impacto total de R$1,01 bilhão, sendo:

● 80,6% (R$813 milhões) referentes a gastos de espectadores (Direto: R$511 milhões / Indireto: R$302 milhões);

Desses R$813 milhões, os gastos ficaram distribuídos da seguinte forma:

34% com alimentação (R$277,9 milhões),

16% com hospedagem (R$132,50 milhões),

14% compras pessoais (R$116,4 milhões),

13% passeios e atrações turísticas (R$102,8 milhões),

11% transporte local (R$85,8 milhões),

12% outros tipos de gastos (R$98 milhões)

● 19,4% (R$196 milhões) referentes à organização dos espetáculos (Direto: R$122 milhões / Indireto: R$74 milhões).

Índice de alavancagem econômica de R$8,25, considerando:

● A seguinte fórmula do cálculo: Índice de Alavancagem Econômica = Impacto Econômico / Investimento Total feito pelos organizadores de espetáculos, ou seja, R$8,25 = R$1,01 bilhão/ R$ 122 milhões)

● Significa que para cada R$ 1,00 investido pelos organizadores nos espetáculos de teatro musical, foram movimentados R$ 8,25 na economia.

Foram gerados 12.824 postos de trabalho, sendo:

● 67,5% diretos – 8.662 postos de trabalho – na cadeia produtiva dos espectadores, entende-se como postos de trabalho diretos aqueles que os espectadores pagam diretamente, como os gerados em restaurantes, transporte aéreo e terrestre, hotéis, agências de viagens, locadora de veículos, comércio, entretenimento, etc. Adiciona-se se aí o que os organizadores pagam diretamente, como cachês aos artistas/músicos, serviços de logística, aluguéis de espaço e estrutura, marketing e promoção, atividades administrativas etc.

● 32,5% indiretos – 4.162 postos de trabalho – na cadeia produtiva dos espectadores e dos organizadores, entende-se como postos de trabalho indiretos bens e serviços produzidos por fornecedores de alimentação, indústria de bens de consumo, marketing, propaganda, limpeza, manutenção, energia, água, óleo e gás, etc.

Retorno em tributos de R$131,3 milhões, sendo:

● 22,3% – Municipais – R$29,3 milhões,

● 11,7% – Estaduais – R$15,4 milhões

● 66,0% – Federais – R$86,6 milhões

Retorno sobre o investimento público de R$1,92 (192%), considerando:

● O retorno em tributos de R$131,1 milhões

● Incentivo fiscal total de R$68,3 milhões (sendo 99,8% via Lei Rouanet)

● A fórmula para tal cálculo: Retorno sobre o investimento = Retorno em tributos / Valor captado via Leis de incentivo, ou seja, R$1,92 = R$ 131,3 milhões / R$ 68,3 milhões

● A captação de recurso, por meio das leis de incentivo, dos organizadores dos espetáculos que fizeram parte desse estudo, foi de, aproximadamente, R$ 68 milhões. Destes, 99,8% foram incentivados através da Lei Rouanet.

● O resultado do retorno sobre o investimento público dos espetáculos de Teatro Musical da cidade de São Paulo foi de 1,92, o que significa que cada R$ 1,00 captado através de mecanismos de incentivo nos projetos do segmento pesquisado, geram R$ 1,92 de retorno em tributos, ou seja, em arrecadação para o governo, em suas três esferas.

Os 28 espetáculos atingiram um público total de 1.091.673 pessoas, sendo:

● 16,1% – Brasileiros não residentes na cidade do evento;

● 24,2% – Excursionistas – não dormem na cidade do evento;

● 58,7% – Brasileiros residentes na cidade do evento;

● Dos não residentes da cidade, 88,4% manifestam interesse de voltar a São Paulo para assistir a outro musical.

Outros dados relevantes da pesquisa:

● Os 28 espetáculos do estudo concederam um total de 189.173 ingressos gratuitos durante as apresentações realizadas em 2018;

● O gasto médio por espectador realizado pela organização para realização dos espetáculos musicais que foi de R$ 112,11;

● O valor médio do ingresso praticado nos espetáculos foi de R$ 82,47.

*Com reportagem de Michele Marreira.

Leia também: Musicais movimentam R$ 1 bilhão e geram quase 13 mil empregos por ano em SP

Siga @miguel.arcanjo

Ver essa foto no Instagram

 

Uma publicação compartilhada por SBTM (@sbteatromusical) em

Você pode gostar...