Suprassumo da elegância marca troca entre Sandra e Maju no Jornal Hoje

Maria Julia Coutinho e Sandra Annenberg: entra a primeira, sai a segunda, com muito respeito e elegância – Foto: Divulgação – Globo – @miguel.arcanjo UOL

Fiquei feliz em ver a Maju chegar à bancada de um grande telejornal. Mas também fiquei triste com a saída da Sandra do Jornal Hoje, que sempre foi o telejornal de TV que mais gostei de assistir — confesso que bem mais no passado do que no presente, mas isso nada tem a ver com ela.

Sandrinha sempre foi muito elegante comigo, desde quando era estagiário de jornalismo na TV Globo em BH e às vezes ajudava a produzir algum VT pro telejornal e precisávamos ter algum contato. Depois, já em Sampa, lembro que a entrevistei junto do Evaristo para o jornal Agora, quando completaram cinco anos à frente da bancada do JH.

Depois, nos encontrávamos em algum show do Gil da vida (eu e ela sempre dançando no canto ou no fundo, enquanto o povo sisudo assistia sentado), e nos falávamos às vezes por email, quando via algo interessante no telejornal e compartilhava com ela minha opinião. Sandrinha sempre me respondia com todo o carinho, assim que o JH acabava, mostrando a jornalista atenta e generosa que é, como costumam ser os grandes de qualquer profissão.

Desejo a ela toda a sorte do mundo no Globo Repórter, com a Glória Maria, minha querida madrinha no Curso Abril de Jornalismo ao lado do meu grande padrinho Thomaz Souto Corrêa. E pra Maju, meu voto é que siga trilhando esse caminho de vitória tão representativo para toda uma sociedade. E que sempre se espelhe na grandeza dessa linda colega de profissão nossa chamada Sandra Annenberg, o suprassumo da elegância.

Nota do colunista: A competente (e querida) Guta Nascimento, bastião do jornalismo como costumo dizer, também escreveu sobre a saída de Sandra do JH e a chegada de Maju ao telejornal, em sua coluna na revista CLAUDIA, que ela dirige. Vale a pena ler. Já a também colega jornalista igualmente competente Edna Dantas fez uma importante observação que deveria ser analisada pela direção da Globo: “Fico feliz com a trajetória da Maria Julia Coutinho e o que ela representa para os negros do Brasil. Desejo boa sorte e mais brilho pra ela. Entretanto, acho que a Sandra Annenberg deveria continuar na bancada do jornal. Uma mulher de 50 anos e com potencial para seguir por um bom tempo na bancada – quem sabe ao lado da Maju?”. Melhor ideia, não há.

Siga @miguel.arcanjo

Você pode gostar...