Héloa embrenha seu canto no São Francisco em Opará, seu novo disco e show

A cantora Héloa nas águas do São Francisco: inspiração para seu novo disco, Opará, com lançamento nesta sexta (6) no Ibirapuera – Foto: Rogério Alonso/Divulgação – Blog do @miguel.arcanjo UOL

Nome da nova cena musical brasileira que merece sua atenção, a cantora Héloa, sergipana radicada em São Paulo, se embrenhou nas águas e vegetação à beira do rio São Francisco para se inspirar para seu novo disco, “Opará” (YB Music, com produção de Zé Nigro). O nome remete a uma das nomenclaturas de Oxum, orixá das águas doces, e também do próprio São Francisco.

Héloa explica que a musicalidade do álbum mescla justamente referências afro-indígenas e nordestinas com a música negra que flui de lugares como Cabo Verde, Angola, Cuba e Moçambique.

“Esse disco surge a partir de uma grande vivência e entrega ao universo religioso e sagrado do candomblé e indígena a partir da minha iniciação e consagração diante do chamado ancestral”, fala Héloa sobre o processo criativo.

“A partir daí se abre um novo olhar diante da minha própria carreira e vida. Mergulhei nas tradições a fim de desconstruir e descolonizar cada vez mais meu pensamento e trazer uma produção horizontal e em consonância com o modo de vida desses povos. Refletindo sobre o tempo e o sagrado em mim”, complementa.

No disco, Héloa apresenta parcerias com nomes como os mineiros Sérgio Pererê e Luiz Gabriel Lopes e o paraense Saulo Duarte.

O show de lançamento do álbum está marcado para esta sexta (6), 21h, no Auditório Ibirapuera, em São Paulo, com entrada a R$ 15 meia e R$ 30 inteira.

O Blog do Arcanjo adianta a banda que acompanhará a artista na apresentação especial: Webster Santos (violão, viola e guitarra), Edy Trombone (trombone e percussão), Maurício Fleury (teclados e flauta) e Maurício Badé (percussão e vocais), além de participações de Zé Nigro, Luedji Luna e Mulheres Livres.

Acessível, o show terá interpretação para linguagem brasileira de sinais.

A artista acaba de lançar o clipe “Agô”, canção de Patrícia Polayne com participação de indígenas Sabuká Kariri-Xocó em defesa das águas e da mata do São Francisco e gravado em sua região. Veja:


Siga @miguel.arcanjo no Instagram

Você pode gostar...