O Retrato do Bob: Paulo Miklos, o cantor e ator camaleão das artes

O cantor e ator Paulo Miklos – Foto: Bob Sousa – Blog do Arcanjo – UOL

Às vésperas de completar 60 anos em 21 de janeiro de 2019, o ex-titã, cantor e ator Paulo Miklos vive o tempo presente, morando no agora. Ícone da história do rock brasileiro — basta lembrar dele cantando “Sonífera Ilha”, de 1984, ou “Bichos Escrotos”, de 1986 —, o artista paulistano se reinventa em outras artes. Assim, é capaz de encarnar um vilão infantil no cinema ou o sofisticado trompetista Chet Baker no teatro. De volta à TV, ele posou com exclusividade para o fotógrafo Bob Sousa para o Blog do Arcanjo no UOL. Se no passado o grande público o via irreverente ao lado do Titãs desconstruindo com punk e rock programas familiares de auditório, hoje o vê rezando na pele do beato Jurandir na novela das 21h da Globo “O Sétimo Guardião”, personagem cujo maior sonho é ver a filha tornar-se freira. “Um careta” como o define, partindo, evidentemente, de um ponto de vista rock’n’roll. Se não está oficialmente no Titãs desde 2016 após 34 anos mergulhado na icônica banda, o rock jamais sairá de suas veias. Afinal, é um cantor e ator camaleão.

Bob Sousa é fotógrafo, mestre em artes pela Unesp e crítico de artes visuais da APCA (Associação Paulista de Críticos de Artes). É autor do livro “Retratos do Teatro” (Ed. Unesp). Semanalmente, retrata com exclusividade para o Blog do Arcanjo no UOL grandes nomes da Cultura e das Artes na coluna O Retrato do Bob. Produtora: Daniela Hamazaki.

Siga Miguel Arcanjo Prado no Instagram

Please follow and like us:
Surra de estilo: Prêmio Bibi Ferreira 2022 Grammy Latino 2022: Veja brasileiros indicados! Travessia estreia em 10 de outubro na Globo Fred Raposo é destaque no Mirada Maitê Proença estreia O Pior de Mim em SP