Feira do Doce Mineiro reúne 11 mil e vira referência nas iguarias de MG

Em uma das tendas, uma senhora prova com cara de alegria um cremoso doce de leite mineiro com café. Em outra, um senhor fica na dúvida se leva o rocambole ou a pimenta de jabuticaba da tenda vizinha. Enquanto isso, crianças corriam levando nas mãos um pacote de queijadinha.

Assim foi a 2ª Feira do Doce Mineiro, que no último sábado (8) e domingo (9) reuniu 11 mil pessoas em Ipatinga, no Vale do Aço, em Minas Gerais, o que a torna a maior em sua área em todo o país.

O Blog do Arcanjo no UOL acompanhou de perto o evento que transformou a praça Daniel Campos Rabelo em uma verdadeira festa açucarada. Mas, também houve espaço para seletíssimos pratos salgados, para dar um alívio em meio a tanto açúcar, e para o som de bandas refinadas como a Choro do Vale.

Foi preciso muita resistência ao açúcar. Afinal, cada tenda visitada, o público foi convidado a experimentar doces de leite, pé de moleque, abóbora com coco, bananada, rocambole, doces cristalizados, queijadinha, brigadeiro, ambrosia, ameixa de queijo, além de todos os tipos possíveis de derivados de jabuticaba.

Gente da região, vinda de municípios como Governador Valadares, Manhuaçu, Caratinga, Timóteo, Coronel Fabriciano e Santana do Paraíso, marcou presença e se fartou. Mas também havia forasteiros vindos de regiões mais longínquas, como Rondônia e Brasília, além da capital mineira, é claro. Todos atrás de reencontrar as gostosuras doces mineiras, aquelas dos tempos da avó.

Coordenadora do evento, Isabella Ribeiro era só sorriso ao falar do sucesso da segunda edição. “Estamos satisfeitos com os resultados, reunimos doces das mais variadas regiões de Minas, até de cidades que estão a 900 km de Ipatinga, e isso não tem preço”, fazendo questão de lembrar que o evento mudou a cara do turismo local nesta época do ano.

“Muito se fala da gastronomia mineira, mas muitas vezes o doce fica como coadjuvante. Aqui na Feira do Doce Mineiro, ele é o protagonista”, define o produtor cultural Michel Ferrabbiamo, que integra a equipe de coordenação e perambulou fazendas no interior de Minas atrás dos melhores produtos. “É a bandeira do doce que queremos levantar”, acrescenta Isabella.

Um dos destaques do evento foram os gentis garçons Luan Mogis, de 26 anos, Raphael Lima, de 25, e Lucas Campos, de 28. Os três com síndrome de Down logo viraram figuras queridas de todos ao servirem o saboroso pão de queijo com pernil para quem queria dar uma pausa no doce.

“Achamos que a melhor forma de inclusão é através da gastronomia, capacitamos os meninos e eles têm competência como garçons como qualquer outro profissional”, avisou Débora Cabral, da Made By Debbie, responsável pelo projeto social Gastrô for All.

Realizada pela Casa Cult com patrocínio da Cemig pela Lei Estadual de Incentivo à Cultura de Minas Gerais, a 2ª Feira do Doce Mineiro ainda contou com o repeteco de um sucesso da primeira edição: a “Cozinha ao Vivo”. Diante de um público ávido por novidades e munidos de papel e caneta para tudo anotar, chefs como Carol Fadel, Loraidan dos Anjos, Edson Puiati, Anderson Oliveira, Mariana Gontijo e a mestra quitandeira Ângela Resende deram suas concorridas aulas, repletas de dicas culinárias preciosas. Outro espaço de sucesso foi o que uniu jornalismo e gastronomia, com falas de críticos especializados.

Participante pela segunda vez da feira, Maria José de Lima Freitas, da Mazé Doces, celebrou o grande público. “Fechamos parcerias além do que esperávamos e nos surpreendemos também com as vendas”, fala. Já o estreante Raphael Figueiredo, da Doce de Leite Rocca, um dos mais elogiados, lembrou que seu doce de leite com café “fez um grande sucesso”: “Fizemos venda até no atacado”, revela.

Mas, verdade seja dita: os primeiros doces a se esgotarem entre os 20 expositores foram o rocambole de Lagoa Dourada e a ambrosia de Araxá, com seus sabores inesquecíveis e disputadíssimos.

Por Miguel Arcanjo Prado*
Enviado especial a Ipatinga (MG)
*O colunista viajou a convite da Feira do Doce Mineiro.

O Blog do Arcanjo lista as 20 iguarias que participaram da 2ª Feira do Doce Mineiro em Ipatinga (MG):

Abóbora com coco de Poços de Caldas
Ambrosia e Ameixa de Queijo de Araxá
Bananada de Antônio Dias
Doces Cristalizados de Carmópolis de Minas
Rocambole de Lagoa Dourada
Pé de Moleque de Piranguinho
Doces de Jabuticaba de Sabará
Goiabada de São Bartolomeu
Doce de Leite de Santo Antônio do Grama
Doce de Leite de São Lourenço
Mangada de Urucânia
Doce de Leite em barra de Ipatinga
Doce de Leite de Machado
Doce de leite de São Tiago
Brigadeiro Gourmet de Belo Horizonte
Queijadinha de Paracatu
Doce de leite de Pouso Alegre
Doce de Leite de São João do Oriente
Doce de leite com caramelo de café de Carmo de Minas
Queijos de Teófilo Otoni

Siga Miguel Arcanjo Prado no Instagram

Você pode gostar...