Morre Beatriz Segall aos 92 anos, a eterna vilã Odete Roitman de Vale Tudo

Beatriz Segall como a vilã Odete Roitman em Vale Tudo, novela de 1988, seu papel mais marcante na TV – Foto: Divulgação – Globo – Blog do Arcanjo – UOL

Uma das maiores atrizes do Brasil, Beatriz Segall morreu, aos 92 anos, nesta quarta (5), em São Paulo. A informação foi confirmada pelo Hospital Albert Einstein, em São Paulo, onde o corpo será velado. A cerimônia de cremação deverá ocorrer nesta quinta em Cotia, na Grande São Paulo.

A atriz estava internada vítima de uma pneumonia. Ela também havia recentemente sofrido uma queda em casa.

Beatriz entrou para a história da televisão ao viver uma das vilãs mais famosas das telenovelas, a malvada e rica Odete Roitman, de “Vale Tudo”, na Globo, em 1988.

A morte da personagem foi um dos principais ganchos da trama de Gilberto Braga, Aguinaldo Silva e Leonor Bassères.

“Quem matou Odete Roitman?” era a pergunta que ecoava por todo o Brasil, só sendo revelado o desfecho no último capítulo, com a revelação que Leila (Cassia Kiss) havia assassinado a milionária vilã.

Leia também: Sombra de Odete Roitman incomodou Beatriz Segall até o fim

Sem contrato na TV no fim de sua vida, a atriz construiu sua carreira sempre buscando bons personagens.

“Se surgir um bom papel, um papel bem escrito, eu estou sempre à disposição. Não quero é fazer qualquer coisa”, disse Beatriz em entrevista a este jornalista em 2009.

Em 2015, ela atuou no musical “Nine”. Em uma das apresentações, ela sofreu uma queda no palco do Teatro Porto Seguro, em São Paulo, e precisou ser internada.

Estreia em “A Beleza do Diabo”

Beatriz Segall nasceu no Rio de Janeiro no dia 25 de julho de 1926.

Filha do professor e advogado Mario de Toledo e da professora Débora de Toledo, começou no cinema com o filme “A Beleza do Diabo”, de 1950.

Nos palcos, a atriz teve inicio em peças como “Manequim” de Henrique Ponguetti. Beatriz se mudou para França ao ganhar da embaixada francesa uma bolsa para estudar teatro. Lá, se casou com Mauricio Segall, com quem teve três filhos.

De volta ao seu país de origem, dedicou alguns anos de sua vida à família. Em 1964, trabalhou em peças teatrais de Max Frisch, “Andorra” e Pequenos Burgueses” de Máximo Gorki. No ano de 1967, Beatriz Segall participou na TV Tupi da novela “Angustia de Amor”. Em 1968, já na TV Record, atuou na novela “Ana”, no papel de Mercedes.

Sua atuação no cinema se deu em filmes como “Cléo e Daniel” (1970)e “O Cortiço” (1979).

Em 1978, ela foi contratada pele TV Globo para fazer parte da novela “Dancin`Days”, de Gilberto Braga, onde interpretou Celina.

Beatriz ficou conhecida na teledramaturgia por fazer papeis de vilãs.

Na novela “Pai Herói”, interpretou a vilã Norah. Em 1980, voltou a interpreta uma vilã no papel de Lurdes Mesquita na novela “Água Viva”. Em 1987, Beatriz teve uma breve passagem pela extinta TV Manchete onde participou da novela “Carmem” de Glória Perez.

No ano seguinte voltou para Rede Globo, pra viver um dos papeis mais importantes de sua carreira: a vilã Odete Roitman na novela “Vale Tudo”.

Ela ainda fez na Globo novelas como “Barriga de Aluguel” (1990), “De corpo e Alma” (1992), “Sonho Meu” (1993).

Em 2001, Beatriz Segall atuou em “O Clone”, novela de Glória Perez, no ano seguinte teve uma pequena participação na novela “Esperança” onde viveu a portuguesa Antonia.

Na Record, atuou em “Prova de Amor” e “Bicho do Mato”, em 2006. Depois, voltou à Globo para fazer “Lara com Z” em 2011.

Em 2012, fez breve participação em “Lado a Lado”. Seu último trabalho em TV foi na série “Os Experientes”, de 2015, uma parceria da Globo com a produtora O2.

Por Miguel Arcanjo Prado

Você pode gostar...