Stand up com mulher negra, Tia Má com a Língua Solta chega a SP

Maíra Azevedo, a Tia Má: mulher negra pioneira no stand up, gênero ainda predominantemente masculino e branco no Brasil: sessão dupla dia 30 de junho no Unibes Cultural em SP – Foto: Divulgação – Blog do Arcanjo – UOL

O gênero do stand up no Brasil ganha uma nova perspectiva para o seu humor: “Tia Má com a Língua Solta“. A obra chega ao público com o anúncio de ser pioneira na comédia stand-up apresentada por uma mulher negra com poder de discurso humorístico que não a deprecie, mas que a empodere. A peça é feita pela jornalista, youtuber e atriz Maíra Azevedo, a Tia Má.

A produção aporta em São Paulo no Unibes Cultural, na r. Oscar Freire, 2500, no dia 30 de junho, sábado da próxima semana, com sessão dupla: às 17h30 e às 20h.

Ao contrário da maioria dos espetáculos de stand up em cartaz no Brasil, ainda feitos a partir do ponto de vista do homem branco, Maíra, a partir do riso, aborda dramas, aceitação, empoderamento e outras situações reais recorrentemente vivenciadas por mulheres negras.

Leia também:
Peça grátis tem encontro explosivo
Leão Lobo vira anjo engraçado

Se no Brasil mulheres negras com poder de discurso no humor ainda é artigo raro, nos EUA elas já fazem isso há muito tempo. E com sucesso.

Sob direção de Elisio Lopes, roteirista dos programas “Lazinho com Você” na Globo e “Espelho” no Canal Brasil, “Tia Má” promete apresentar situações que as espectadoras vão de identificar e gargalhar.

“É como um manual prático para a vida cotidiana”, diz Maíra, que usa o bordão “tira o sapatinho e bota o pé no chão”.

Micheli Machado e Juliana Oliveira: atrizes negras pioneiras no stand up em São Paulo – Fotos: Divulgação – Blog do Arcanjo – UOL

Outras atrizes negras pioneiras no stand up brasileiro

Como bem observou o comediante Marcelo Mansfield em mensagem ao Blog do Arcanjo no UOL, outras atrizes negras são pioneiras no gênero stand up, para além da baiana Maíra Azevedo — apesar de mulheres ainda serem minoria no gênero, sobretudo as negras.

Em São Paulo, a paulistana Micheli Machado faz sucesso com seu show de stand up, além de programar o Beverly Hills, espaço dedicado apenas ao famoso gênero que traz o comediante em pé com um microfone na mão. Juliana Oliveira, por sua vez, além de atuar na TV ao lado de Danilo Gentili no SBT, também tem seu próprio show de humor de gênero stand up.

Já Paloma Santos foi pioneira no estilo em Minas Gerais, com o famoso espetáculo “Queijo, Comédia e Cachaça”.

Para além do recorte étnico, é importante lembrar ainda que Nany People e Silvetty Montilla, duas drags queens, também têm pioneirismo da representação de transexuais no gênero stand up no Brasil.

Siga Miguel Arcanjo

Maíra Azevedo é uma das mulheres negras mais influentes do Brasil – Foto: Divulgação – Blog do Arcanjo – UOL

De volta a Maíra Azevedo, com a língua afiada, a artista virou consultora do “Encontro com Fátima Bernardes”, na Globo, e foi eleita pelo site Blogueiras Negras como uma das mulheres negras mais influentes do Brasil.

“Preta, mãe solteira e poderosa”, esta baiana se define como “aquela amiga conselheira que sempre sabe a resposta errada para a confusão certa”.

Na peça, que tem codireção de Ricardo Fagundes e texto da própria Maíra, autoestima, beleza, negritude e relacionamentos são abordados com tiradas inteligentes que prometem fazer rir e conscientizar do racismo estrutural no Brasil.

Para apoiar a comunidade negra, no dia da peça, Maíra convocou empreendedoras negras para deixarem à exposição do público seus produtos e comidinhas. A produção do evento é do TNM – Todos Negros do Mundo, sob comando do diretor Anderson Jesus.

Jesus adianta ao Blog do Arcanjo no UOL que ainda gravará a apresentação com a equipe da sua Iracema Rosa Filmes, com “o objetivo de tornar o espetáculo um programa de TV paga ou vídeo on demmand, como acontece com os grandes comediantes dos Estados Unidos”.

Saiba como ver “Tia Má com a Língua Solta” em SP

Siga Miguel Arcanjo

Você pode gostar...