Leticia Spiller perde a carteira no Festival de Curitiba e faz apelo

Leticia Spiller, durante o espetáculo “Punho Fechado”, no 27º Festival de Curitiba, ao lado de Maureen Miranda – Foto: Humberto Araujo/Divulgação – Blog do Arcanjo/UOL

Por Michele Marreira, em Curitiba*
Colaboração para o Blog do Arcanjo

Após emendar diversos trabalhos na TV nos últimos anos, a atriz Leticia Spiller sai de cena temporariamente das novelas para se enveredar por novas vertentes artísticas. Presente na capital paranaense desde a abertura do 27º Festival de Curitiba na última terça (27), a artista traz múltiplas propostas para o Fringe 2018, a mostra livre do festival.

“Estou lançando meu primeiro livro de poesia, ao todo são 30, chama-se “Mais de Mim”, no dia 5 de abril, às 19h, na Bicicletaria Cultural aqui de Curitiba. O projeto conta com as ilustrações da artista plástica Maureen Miranda. A poesia pede algo bonito, pensamos numa maneira que pudesse se transformar em presente”, declara Leticia Spiller ao Blog do Arcanjo no UOL.

Carteira perdida

Contudo, algo perturba a atriz em seus dias curitibanos. Ela perdeu sua carteira com todos os cartões e documentos e aproveita a entrevista para fazer um apelo.

“Fui ao café do teatro, comi algo e na hora de pagar, não encontrava minha carteira. Deve ter caído no chão. Dentro tinha meu documento de habilitação, meus cartões de crédito e dinheiro. Brasil, né? Se fosse no Japão, teriam deixado lá até hoje! Tomara que não tenham jogado no lixo. Quem achar vai ganhar um beijo e poderá assistir nossos shows de graça. Estou esperançosa, fico até dia 8 de abril na cidade”, avisa.

Leticia Spiller, durante a entrevista ao Blog do Arcanjo no 27º Festival de Curitiba – Foto: Annelize Tozetto/Divulgação – Blog do Arcanjo/UOL

Enquanto não recupera seus pertences, Spiller retoma o papo com a reportagem, afirmando não descartar a possibilidade de no futuro, lançar sua biografia, pois recebe grande incentivo do produtor James McSill, responsável pelos títulos infantis do projeto Genoma. “Embora eu tenha trabalhado bastante desde cedo e tenha muita história para contar, biografia é algo a se pensar mais para frente, tenho muitos trabalhos para fazer antes disso”, explica.

Coletivo El Camino no 27º Festival de Curitiba – Foto: Annelize Tozetto/Divulgação – Blog do Arcanjo/UOL

Coletivo El Camino

Desde 2017, Spiller é uma das integrantes do Coletivo El Camino, grupo que nasceu da união de seis artistas de lugares diferentes, com trajetórias sólidas. Todos têm em comum amor pela arte e sua amplificação. A trupe é formada por Flávio Jardim (designer e fotógrafo), Maureen Miranda (atriz e artista plástica), Neco Yaros (músico e compositor), Adriano Petermann (ator) e Pablo Vares (músico e compositor).

“A peça é divertida, fazemos brincadeiras, é tudo despretensioso, o público adora. Um espetáculo despudorado. O figurino somos nós mesmos que fazemos com inspiração nos grupos ‘Dzi Croquettes’ e ‘Secos e Molhados’, do Ney Matogrosso, uma forma irreverente de se colocar”, diz a atriz, animada.

Leticia Spiller com a turma do Coletivo El Camino na Bicicletaria Cultural no 27º Festival de Curitiba – Foto: Humberto Araujo/Divulgação – Blog do Arcanjo/UOL

Eclética

Até 8 de abril, o Coletivo El Camino promove 44 apresentações de oito espetáculos diferentes, que envolvem teatro, música, artes plásticas e literatura na Bicicletaria Cultural (R. Pres. Faria, 226, Centro, Curitiba, tel. 41 3153-0022).

O charmoso lugar é point de jovens artistas e de gente que busca uma cidade mais democrática e agradável para todos, com incentivo ao uso livre do espaço público.

Leticia Spiller em “Punho Fechado” no 27º Festival de Curitiba – Foto: Humberto Araujo/Divulgação – Blog do Arcanjo/UOL

“Por meio desses trabalhos as pessoas poderão conhecer um pouco mais de mim. Ficamos muito condicionados a uma imagem, sou mais que isso. Gosto muito do meu outro lado artístico, performático, de cantar, declamar poemas, do teatro, para isso, precisamos ir até o público”, enfatiza Spiller, que tem um sentimento especial por Curitiba.

“Minha relação com a cidade sempre foi familiar, tenho um irmão que mora aqui, mas agora está muito ligado à arte. Inclusive em 2017, estivemos em cartaz com o espetáculo ‘Doroteia’. No Festival estamos fazendo arte, levando amor enquanto indivíduos através de todas essas manifestações”, revela Spiller.

A atriz Letícia Spiller – Foto: Annelize Tozetto/Divulgação – Blog do Arcanjo/UOL

*Enviada especial, a jornalista Michele Marreira viajou a convite do Festival de Curitiba.

Siga Miguel Arcanjo no Instagram
Curta Miguel Arcanjo no Facebook
Siga Miguel Arcanjo no Twitter

Please follow and like us:
Vingança, O Musical é aplaudido por estrelas Longa Jornada Noite Adentro é aplaudida por famosos Marina Sena fala do 2º álbum Orgulho LGBT+ 5 peças em São Paulo Parada do Orgulho LGBT+ bate recorde com 4 milhões de pessoas