Felicidade incomoda? Sinto muito, diz Narjara Turetta sobre ida ao Faustão

Narjara Turetta – Foto: Globo/Divulgação

Muito comentada nas redes sociais por conta de seu jeito extrovertido no último “Domingão do Faustão”, a atriz Narjara Turetta, a Zildete da novela “O Outro Lado do Paraíso” fala, com exclusividade para o Blog do Arcanjo do UOL, sobre a repercussão polêmica de sua participação no dominical da Globo. Leia com toda a calma do mundo.

“Eu soube que estão comentando… Eu não li não, até porque tenho mais o que fazer, eu trabalhei nesta segunda à beça. Porque saímos do Faustão e fomos para a gravação alegres, brincalhonas, como a gente é.

Soube de algumas coisas, que o pessoal ficou comentando que eu queria aparecer. Gente, olha só, a felicidade incomoda. E eu sou feliz e sou autêntica, alegre, pra cima.

Leia também

Tudo que eu fiz no programa foi com a ordem do diretor, que é um amor, que é um doce de pessoa, chamado Beto Silva. Ele pediu para nós seis no camarim que a gente brincasse, interagisse, dançasse. ‘Participem do programa, se sintam em casa, fiquem à vontade, o programa é de vocês’, foi o que o Beto Silva nos disse. E foi o que fiz, me senti em casa.

Se queria aparecer? A gente vai num programa para aparecer, senão, ficava em casa vendo televisão, até porque minha mãe sentiu minha falta. Foi um programa pra cima, um programa gostoso. Eu brinquei, fiz graça. Talvez esse negócio de falar alto, talvez foi porque não nos escutávamos tão bem por conta de retorno.

Quanto a eu estar eufórica, claro! Eu estava feliz! Não fumo, não bebo, não me drogo, minha alegria vem de dentro. Sou espontânea e adoro brincar. Reencontrei Faustão a quem não via havia 17 anos. Eu levei uma camisa para ele, e ele ficou muito feliz, ele também me deu presente.

Foi um domingo alegre, um domingo muito feliz. Se a felicidade incomoda? Sinto muito. Saia do caminho com sua dor que estou passando com minha felicidade. A vida é feita de altos e baixos, todos nós vamos ter dores e felicidades. Domingo foi meu dia de felicidade.

A gente deve parar de julgar os outros. É tão fácil ficar apontando o dedinho, falando mal de artista. Ah, meu Deus do céu, vamos arrumar mais o que fazer do que ficar nas redes sociais, vamos ler um livro, ajudar uma pessoa pobre. Se não gosta de mim, não me segue. Está nas minhas redes sociais por quê?

Não vou agradar todo mundo, nem Jesus Cristo agradou todo mundo. Não vou mudar meu jeito de ser para agradar. E tenho história com o Faustão, meu tio foi quem o descobriu, e o próprio Faustão me disse que sou sócia fundadora do ‘Domingão’. E é isso.

Estava muito feliz. Quando me convidam para um programa qualquer que seja ou eu vou para me divertir ou não vou. Senão, fico em casa. Um beijo para quem me ama, e dois beijos para aqueles que não me amam, que é um direito que todos têm.

A vida é curta, ela passa, você pode dormir hoje e não acordar amanhã. Lembra a música ‘Trem Bala’? A gente é só passageiro. Já chorei muito. Eu desejo a todos muita felicidade sempre.

Um beijo a todos os leitores do UOL e do Blog do Arcanjo.
Beijão!”
Narjara Turetta, atriz

Narjara Turetta no “Domingão do Faustão” – Foto: Reprodução/Globo

Leia também:
Musical com protagonistas negros estreia em SP

Siga Miguel Arcanjo no Instagram
Curta Miguel Arcanjo no Facebook
Siga Miguel Arcanjo no Twitter

Você pode gostar...