Rapidinhas teatrais: Rosamaria Murtinho faz 60 anos de carreira reverenciada por nova geração

Rosamaria Murtinho: 81 anos de vida e 60 anos de carreira celebrados no palco em “Doroteia” – Foto: Estevam Avellar/Globo

Por Miguel Arcanjo Prado

Festança no palco
Rosamaria Murtinho, grande nome de nosso teatro, cinema e TV, celebra com tudo seus 60 anos de carreira na peça “Doroteia”, em cartaz no Teatro Cetip, em São Paulo. Sexta e sábado, 21h, e domingo, 19h, até 2 de julho, com ingresso entre R$ 70 e R$ 110. Estão todos convidados.

Malvada
Rosamaria faz a vilã Dona Flávia no texto escrito por Nelson Rodrigues em 1949. Um clássico.

Sucesso por onde passa
Antes de aportar em São Paulo, “Doroteia”, dirigida por Jorge Farjalla, teve quatro temporadas cariocas. E ainda passou por Uberlândia, Araxá, Maceió, Recife, Fortaleza e Salvador. Sempre muito bem falada pelo público. E pela crítica.

“Doroteia” tem Rosamaria Murtinho e Letícia Spiller no elenco – Foto: Divulgação

Tem ex-paquita
No elenco de “Doroteia”, além de Rosamaria Murtinho, estão Leticia Spiller, Alexia Dechamps, Anna Machado, Dida Camero e Jaqueline Farias. E os atores André Américo, Daniel Martins, Du Machado, Fernando Gajo, Pablo Vares e Rafael Kalil. Turma completa.

Dramaturga
A dramaturgia desta versão de “Doroteia” é assinada por Rosamaria Murtinho conjuntamente com Jorge Farjalla e Diogo Pasquim. Poderosa.

Rosamaria Murtinho posa com equipe da peça “Enquanto as Crianças Dormem”, no Teatro Aliança Francesa, em SP – Foto: Fabio Camara

Plateia VIP
Aos 81 anos, além de encenar sua peça, Rosamaria Murtinho ainda tem pique para prestigiar espetáculos de colegas em São Paulo. Na última quarta (7), foi assistir ao antimusical “Enquanto as Crianças Dormem”, de Dan Rosseto. Foi muito paparicada ao fim.

Voz da experiência
Depois da peça, Rosamaria fez questão de elogiar um por um dos atores da peça: Carol Hubner, Carolina Stofella, Diogo Pasquim, Haroldo Miklos, João Sá, Juan Manuel Tellategui, Roque Greco e Samuel Carrasco. Depois, tirou fotos com todos. Não à toa, que Rosamaria Murtinho é nome tão querido e respeitado pelas novas gerações.

Carol Hubner, Carolina Stofella, Eduardo Martini e Juan Manuel Tellategui no Teatro Aliança Francesa após a peça “Enquanto as Crianças Dormem” – Foto: Divulgação

Prestígio
Outro que foi assistir “Enquanto as Crianças Dormem” nesta semana foi Eduardo Martini, que estava na última terça no “Programa do Ratinho” com sua engraçadíssima personagem Neide Boa Sorte. O ator está viajando o interior de São Paulo com sua peça “O Filho da Mãe”.

História de fast food
“Enquanto as Crianças Dormem” faz temporada no Teatro Aliança Francesa até o fim de julho, sempre quarta e quinta, 20h30, com entrada a R$ 50 e R$ 25. Conta a história de Kelly, uma atendente de lanchonete que fantasia em ir para a Broadway e se tornar uma grande estrela de musicais. Vai, gente.

“Dzi Croquetes”, com Ciro Barcelos (à esq.), integrante da formação original, faz nova temporada em SP no Teatro Augusta – Foto: Divulgação

As internacionais
“Dzi Croquettes” está de volta ao Teatro Augusta, em São Paulo. Toda sexta, 21h30, até 28 de julho, com ingresso a R$ 80 e R$ 40. Com muita sensualidade. É claro.

Histórico
Para quem não sabe, o grupo Dzi Croquettes surgiu nos anos 1970 e fez sucesso em São Paulo, Rio e depois em Paris. Sua marca sempre foi romper os limites entre o masculino e o feminino. Bem antes de discurso sobre gênero virar essa moda toda.

Coletivo Cartográfico ocupa o Galpão Mungunzá em SP – Foto: Cacá Bernardes

Atenção, obras
O Galpão Mungunzá, no Bom Retiro, em São Paulo, será transformado em uma casa em obras para o espetáculo-instalação de dança contemporânea “Acerca do Fracasso das Formas”, do Coletivo Cartográfico. Vai ser um pó danado.

Ocupação
Formado pelas artistas Carolina Nóbrega, Fabiane Carneiro e Monica Galvão, em parceria com o artista visual Jorge Soledar, o espetáculo ocupa os 230 m2 com móveis, gesso e ferramentas de construção civil. Eita.

Quebra quebra
A cada dia, as três artistas do grupo vão corroer a instalação inicial, numa narrativa continuada de destruição que durará um mês: de 10 de junho a 2 de julho, sábados e domingos das 19 às 22 horas, com abertura do galpão às 18h. Nesse intervalo, o público vai poder entrar e sair na hora que quiser. Ufa.

Pedro Lemos e Fabio Rhoden estão na peça “Bruta Flor” – Foto: Divulgação

Plateia cheia
A turma da peça “Bruta Flor” está rindo à toa. Afinal, a obra cumpre sete meses de sucesso junto ao público. Que bom.

Nova temporada
“Bruta Flor” está no Teatro Augusta, com sessões às quartas e quintas, 21h, com direção de Márcio Rosário para o texto de Vitor de Oliveira e Carlos Fernando de Barros. Entrada a R$ 70 e R$ 35.  Anotou?

Amor livre
O tema de “Bruta Flor” é homossexualidade, bissexualidade e homofobia. Para combater o preconceito, é claro. Vai bombar nesta semana da Parada Gay.

“Irmã Selma” tem sessões para o público da Parada Gay de SP – Foto: Divulgação

Ela reza e acontece
De olho no público que chega a São Paulo nos próximos dias para a Parada Gay, marcada para o próximo dia 18 de junho, o ator Octávio Mendes programou sessões especiais de sua comédia “Irmã Selma”, na qual dá vida à engraçadíssima freira e a outros personagens igualmente divertidos.

Pré-balada
As apresentações especiais de “Irmã Selma” serão na quinta (15), às 21h, e na sexta (16), às 23h, no Teatro Gazeta da av. Paulista, 900. Entrada a R$ 60 e R$ 30. Chame a turma para rir muito antes de ferver na balada.

Claudia Alencar abraça o amigo Edwin Luisi após vê-lo em “Alair”, no Rio – Foto: Cristina Granato

Amiga na plateia
Claudia Alencar foi assistir à peça “Alair”, com a qual Edwin Luisi celebra 45 anos de carreira, na Casa de Cultura Laura Alvim, em Ipanema, no Rio. A obra fica em cartaz de quarta a domingo, até 2 de julho.

Homoerotismo
“Alair” tem direção de Cesar Augusto e texto de Gustavo Pinheiro a partir dos diários do fotógrafo Alair Gomes (1921-1992), morto há 25 anos. Engenheiro de formação, filósofo, escritor, estudioso e crítico de arte, Alair foi reconhecido como precursor da fotografia homoerótica no Brasil.

Acervo farto
O acervo deixado por Alair Gomes tem mais de 170 mil negativos cujo tema central é a beleza do corpo masculino. Além de Edwin Luisi, estão na peça os atores Andre Rosa e Raphael Sander.

“Limonada” estreia no Parlapatões em São Paulo com aventuras de amor de jovem gay trintão – Foto: Fábio Pazzitto

Gay trintão
A Benvinda Cia. faz pela primeira vez uma peça com temática LGBT. “Limonada” narra as desventuras amorosas de Beto, um rapaz gay que está se aproximando dos 30 anos de idade.

Amores do passado
Na peça, prestes a iniciar a comemoração de seu aniversário, Beto recebe a visita de seus cinco ex-amores. Com texto e direção de João Hannuch, a obra estreia nesta sexta (9), às 23h50, no Espaço dos Parlapatões, na praça Roosevelt, São Paulo.

A atriz Cléo De Páris já está no clima das festas juninas – Foto: Andre Stefano

Viva São João
Cléo De Páris, a atriz, mandou avisar a quem interessar possa: ela está prontíssima para desfrutar das festas juninas.

Leona Jhovs: 30 anos com direito a festa após espetáculo – Foto: Dario José

Balzaquiana
A atriz Leona Jhovs fez 30 anos esta semana. Vai celebrar na sede Luz do Faroeste, na Luz, no domingo (11), logo após a peça “Curare”. Parabéns.

Siga Miguel Arcanjo Prado no Facebook, no Twitter e no Instagram.

Você pode gostar...