Mônica Martelli anuncia pausa em Os Homens São de Marte ao fim de temporada em SP

Monólogo com Mônica Martelli foi visto por 2 milhões de pessoas - Foto: Lívio Campos

Monólogo com Mônica Martelli foi visto por 2 milhões de pessoas – Foto: Lívio Campos

Por Miguel Arcanjo Prado

Não é qualquer ator ou atriz que pode se vangloriar de ter feito um monólogo visto por 2 milhões de pessoas e que foi apresentado em 40 cidades de todos os Estados do Brasil. Mônica Martelli pode.

Há 11 anos, ela faz o sucesso “Os Homens São de Marte… E É pra Lá Que Eu Vou!”. Ela, que encerra a temporada em São Paulo, no Teatro Cetip, neste fim de semana, jura que é a última vez: “Agora, vou parar de fazer esta peça e investir em um novo espetáculo”, avisa.

O envolvente espetáculo dirigido por Victor Garcia Peralta, que rendeu a Mônica indicação ao Prêmio Shell de melhor atriz em 2005, jogou holofote ao trabalho da atriz, que após ele fez novela, filme, série e ainda ganhou vaga como apresentadora do tradicional programa feminino “Saia Justa”, no canal pago GNT.

A peça festejada, além de virar um franquia sucesso de bilheteria no cinema, também vai virar livro e ganhará sequência nas telonas.

A atriz Mônica Martelli: sucesso nos palcos, na TV e no cinema - Foto: Lívio Campos

A atriz Mônica Martelli: sucesso nos palcos, na TV e no cinema – Foto: Lívio Campos

Sonho de se casar

Tudo isso é fruto da identificação que a personagem Fernanda, interpretada por Mônica em excelente tempo cômico, gera no público, em especial na plateia feminina.

Fernanda é uma jornalista de 39 anos, fracassada no amor e que vive, ironicamente, de organizar festas de casamento. Ela tenta, sem sorte, se casar também, mas só encontra príncipes nada encantados no caminho. As situações amorosas decepcionantes, muitas delas inspiradas na vida da própria Mônica, garantem muitas gargalhadas ao público. E o bordão “não era pra ser” acaba sendo ponto alto do texto, dito pela personagem a cada decepção.

Mônica diz que, ao escrever a peça, não teve “receios” e colocou no texto “tudo que passou quando estava solteira”. “Estão lá em cena todas as angústias, medos, decepções, alegrias e expectativas”, explica. E, claro, a expectativa de encontrar um grande amor. “Todo mundo quer dormir de conchinha, né?”, diz, com um sorriso.

E é por esta forte dose de humanidade que a peça é o sucesso que é. Com a agenda movimentada, Mônica diz que, ao fim desta temporada, irá investir em um novo espetáculo. Mas é bem capaz que os fãs (ou melhor, as fãs) da peça a façam mudar logo de ideia. Afinal, não é todo ator que consegue fazer um monólogo capaz de levar 2 milhões de pessoas ao teatro…

“Os Homens São de Marte… E É pra Lá Que Eu Vou!” * * * *
Avaliação: Muito bom
Quando: Sexta e sábado, 21h, domingo, 18h. 70 min. Até 5/2/2017
Onde: Teatro Cetip – Rua Coropés, 88, Pinheiros, metrô Faria Lima, São Paulo, tel. 11 3728-4940
Quanto: R$ 70 a R$ 100
Classificação etária: 14 anos

Siga Miguel Arcanjo Prado no Facebook, no Twitter e no Instagram.

Please follow and like us: