Peça O Orgulho da Rua Parnell mostra violência contra a mulher

cena da peça O Orgulho da Rua Parnell - Foto: Eliana Souza

Claudiane Carvalho e Alexandre Tigano em cena da peça O Orgulho da Rua Parnell – Foto: Eliana Souza

Por Miguel Arcanjo Prado

Dez anos de uma complicadíssima história de amor com tragédias e um episódio de violência doméstica são o mote do espetáculo “O Orgulho da Rua Parnell”, escrito pelo inglês radicado na Irlanda Sebastian Barry e apresentado pela primeira vez no Brasil com direção de Darson Ribeiro na Verniz Galeria, em São Paulo.

A ambientação é um charme a mais da peça, já que o público senta-se nos móveis do antiquário de 400 metros quadrados idealizado por de Paulo Bega, Fábio Matheiski e Luciano Tartalia. Os objetos, inclusive, são vendidos a quem se interessar. “É um antiquário que tem a delicadeza de misturar objetos com a força de peças e mobiliário industrial”, avisa o diretor, dizendo que o lugar dialoga com a “cenografia desmantelada e ao mesmo tempo aconchegante do casal protagonista”.

Mas, voltemos à história. A montagem traz os atores Alexandre Tigano e Claudiane Carvalho em monólogos interconectados que contam, aos poucos, a história do casal Joe e Janet, com a Copa de 1990 de fundo e totalmente estremecida após uma morte na família e esmagada depois que o marido dá uma surra na mulher.

“A história é narrada como se esfregássemos as situações na cara do espectador”, conta o diretor. Ele lembra que a violência contra a mulher no Brasil tem índices altíssimos. “A sociedade dá pouca atenção para o fato. O teatro tem a função de alertá-la”, fala, lembrando que o Conselho Estadual de Defesa da Mulher, por meio de sua presidente Rosemary Correa, apoia a peça.

A encenação ainda traz a criança Enrico Bezerra, de nove anos, em participação especial, interpretando uma canção.

O Orgulho da Rua Parnell
Quando: Sábado e segunda, 20h, domingo, 19h. 75 min. Até 19/2/2017
Onde: Verniz Galeria – R. Álvaro de Carvalho, 318, metrô Anhangabaú, São Paulo, tel. 11 97655-3687
Quanto: R$ 60 (inteira) e R$ 30 (meia)
Classificação etária: 12 anos

Siga Miguel Arcanjo Prado no Facebook, no Twitter e no Instagram.

Please follow and like us:
Tim Maia: 80 anos do eterno síndico Arlete Salles brilha no Teatro das Artes Surra de estilo: Prêmio Bibi Ferreira 2022 Grammy Latino 2022: Veja brasileiros indicados! Travessia estreia em 10 de outubro na Globo