Blog do Arcanjo escolhe melhores do teatro no primeiro semestre de 2016

Destaques no teatro no primeiro semestre de 2016 - Fotos: Divulgação

Destaques no teatro no primeiro semestre de 2016: diversidade e talento – Fotos: Divulgação

O primeiro semestre de 2016 foi recheado de espetáculos de qualidade nos palcos. Aqui no Blog do Arcanjo do UOL você acompanha com detalhes as peças que movimentam a cena e conquistam o público. O jornalista e crítico teatral Miguel Arcanjo Prado escolhe, a seguir, os nomes que se destacaram nos seis primeiros meses do ano. Veja a lista:

Veja também a lista dos melhores do teatro no segundo semestre de 2016

Melhor espetáculo
“Pra Dar um Fim no Juízo de Deus”, do Teat(r)o Oficina, dirigido por Zé Celso
“Pinheiros e Precipícios”, da Selvática Ações Artísticas, dirigido por Ricardo Nolasco
“Wicked”, da Time Four Fun, dirigido por Joe Mantello, Lisa Leguillou e Rachel Ripani

Melhor dramaturgia-texto
Leonardo Cortez, por “Sala dos Professores”, da Cia. Elevador Panorâmico
Renata Martins, por “Ida”, do Coletivo Negro
Zé Celso, por “Pra Dar um Fim no Juízo de Deus”, do Teat(r)o Oficina

Melhor direção
Antunes Filho, por “Blanche”, com o Macunaíma/CPT
Fábio Ock, por “Com Amor, Brigitte”
Rodolfo García Vázquez, por “Pessoas Sublimes”, do Satyros

Melhor ator
Marcos de Andrade, por “Blanche”
Pascoal da Conceição, por “Pra Dar um Fim no Juízo de Deus”
Zécarlos Machado, por “Gata em Telhado de Zinco Quente”

Melhor ator coadjuvante
Eduardo Chagas, por “Pessoas Sublimes”
Maurício Tizumba, por “Gabriela, um Musical”
Patrick Amstaldem, por “O Musical Mamonas”

Melhor atriz
Andressa Cabral, por “Blanche”
Bárbara Paz, por “Gata em Telhado de Zinco Quente”
Fabi Bang, por “Wicked”

Melhor atriz coadjuvante
Claudia Noemi, por “Garrincha”
Ivanna Dommenyco, por “Cinderella”
Phedra D. Córdoba, por “Pessoas Sublimes”

Melhor iluminação
Cesar de Ramires, por “Gabriela, um Musical”
Robert Wilson (Bob Wilson) e John Torres, por “Garrincha”
Kenneth Posner, por “Wicked”

Melhor cenário
Gabriel Miziara, por “As Ondas ou uma Autópsia”
Marisa Bentivegna, por “Chuva Não, Tempestade”
Robert Wilson (Bob Wilson), por “Garrincha”

Melhor figurino
Débora Marçal, por “Ida”, do Coletivo Negro
Susan Hilferty, por “Wicked”
Zé Henrique de Paula, por “Com Amor, Brigitte”

Melhor trilha-música
KL Jay, Cássio Martins, Djy Wojtila, Fernando Alabê, Jé Oliveira, Mauá Martins e Melvin Santhana, por “Farinha com Açúcar”, do Coletivo Negro
Dani Nega, Fefê Camilo e Ana Goes por “Ida”, do Coletivo Negro
Nando Duarte, por “Gilberto Gil, Aquele Abraço – O Musical”

Revelação
Flavio Sales, por “Vias”
Adriano Tunes, por “O Musical Mamonas”
Ruy Brissac, por “O Musical Mamonas”

Melhor grupo teatral
Coletivo Negro
Companhia de Teatro Os Satyros
Teat(r)o Oficina Uzyna Uzona

Melhor projeto
Mostra de Dramaturgia em Pequenos Formatos Cênicos do Centro Cultural São Paulo, por fomentar a nova dramaturgia
Phedras por Phedra, show beneficente para Phedra D. Córdoba no Teat(r)o Oficina
Oficina Cultural Oswald de Andrade, por uma curadoria dinâmica e propositiva

Melhor festival
Festival de Teatro de Curitiba
MITsp (Mostra Internacional de Teatro de São Paulo)
FIT-BH (Festival Internacional de Teatro, Palco & Rua de Belo Horizonte)

Melhor teatro-espaço-programação
Espaço dos Parlapatões
Teatro Porto Seguro
Viga Espaço Cênico

Melhor espetáculo internacional
“A Carga”, do Congo
“Cinderela – Cendrillon”, da França
“Revolting Music – Inventário das Canções de Protesto que Libertaram a África do Sul”, da África do Sul

Veja também a lista dos melhores do teatro no segundo semestre de 2016

Siga Miguel Arcanjo Prado no Facebook, no Twitter e no Instagram.

Você pode gostar...