Após destaque no teatro, Pedro Wagner estreia na Globo em “Justiça”

Adriana Esteves e Pedro Wagner Cabral em "Justiça" - Foto: Div/Globo

Adriana Esteves e Pedro Wagner Cabral em cena de “Justiça” – Foto: Div/Globo

Por Miguel Arcanjo Prado

Após chamar a atenção no teatro, o ator pernambucano de Garanhuns Pedro Wagner Cabral estreia aos 34 anos na televisão na série “Justiça”, da Globo. Ele, que integra o Grupo Magiluth, de Recife, dá vida ao problemático Oswaldo, irmão do cantor Firmino, papel de Júlio Andrade. Seu personagem cometerá um crime sexual na história.

“Ele é um personagem de sombra, extremamente violento e tem um desvio de caráter muito grave”, define o ator em conversa exclusiva com o Blog do Arcanjo do UOL.

“O Oswaldo serve à trama para trazer visibilidade ao tema do abuso sexual para com as mulheres, um tema de extrema urgência, porque no Brasil se mata muita mulher pela questão de gênero, com homens que tratam a mulher e o corpo dela como propriedade”, discursa o artista.

Nesta terça (13), na mesma noite em que estará em cartaz com o Magiluth no Sesc Santos com a peça “O Ano em Que Sonhamos Perigosamente” pelo Mirada – Festival Ibero-Americano de Artes Cênicas de Santos, na TV, seu personagem, que é pintor, surgirá de repente no show do irmão e se aproximará de Fátima, defendida por Adriana Esteves.

Na trama, Oswaldo vai usar o irmão músico de pretexto para puxar conversa com Fátima. Ao fim do show, Firmino dará uma prensa em Oswaldo, dizendo que este só lhe traz problemas.

Pedro Wagner Cabral contracena com Julio Andrade em "Justiça" - Foto: Divulgação/Globo

Pedro Wagner Cabral contracena com Júlio Andrade em “Justiça” – Foto: Divulgação/Globo

“Aconteceu”

Wagner conta que a estreia na TV na série escrita por Manuela Dias com direção artística de José Luiz Villamarim surgiu de um convite que recebeu durante a temporada em São Paulo no primeiro semestre da peça “A Tragédia Latino-Americana”, dirigida por Felipe Hirsch.

“Recebi o convite para ir ao Rio conversar com o diretor Villamarim, que é um querido. Ele me pediu para fazer uns vídeos. Foi algo simples e daí já saí para provar figurinos, marcar agenda de ensaios e pegar os capítulos. Foi algo muito veloz! Aconteceu”, lembra.

O pernambucano conta que foi bem recebido nos estúdios cariocas da Globo. “Foi tudo muito de boa. A galera já tinha referência do meu trabalho no Magiluth, já tinha também trabalhado com algumas pessoas, como o Chico Accioly, que já tinha feito produção de elenco em alguns longas que fiz”, revela.

Pedro Wagner Cabral como Oswaldo, em "Justiça" - Foto: Divulgação/Globo

Pedro Wagner Cabral como Oswaldo, em “Justiça”, na Globo – Foto: Divulgação/Globo

E, pelo jeito, Wagner deverá intensificar sua presença na TV. O ator já está sendo sondado para novos trabalhos e gravará uma série de horror e fantasia que será filmada em Recife, “Fãtásticos”, de André Pinto e Henrique Spencer. Ele também já está envolvido em novos projetos no cinema, como “Toc”, filme com Tatá Werneck, além de estar em cartaz no filme “O Roubo da Taça”, de Caíto Ortiz.

No teatro, além de em 2017 viajar à Europa com a peça “A Tragédia Latino-Americana”, continua a pleno vapor com o Magiluth, que deve estrear um texto clássico até o fim do ano e em 2017 lançará uma peça com texto do pernambucano Miró da Muribeca, com direção da mineira Grace Passô.

“O Magiluth é o que me compõe, é o que sou, é minha casa. Eu viajo muito, então, estar com o Magiluth é estar em casa, com os meus, e para mim nada é mais precioso do que isso”, conclui.

Siga Miguel Arcanjo Prado no Facebook, no Twitter e no Instagram.

Please follow and like us:
Vingança, O Musical é aplaudido por estrelas Longa Jornada Noite Adentro é aplaudida por famosos Marina Sena fala do 2º álbum Orgulho LGBT+ 5 peças em São Paulo Parada do Orgulho LGBT+ bate recorde com 4 milhões de pessoas