Record passa a investir em teatro com “Os Dez Mandamentos – O Musical”

Conflito bíblico: Bruna Pazinato, Nefertari, e Julio Mancini, Moisés - Foto: Antonio Chahestian

Conflito bíblico: Bruna Pazinato, Nefertari, e Julio Mancini, Moisés – Foto: Antonio Chahestian

Por Miguel Arcanjo Prado

Depois do sucesso de audiência da novela “Os Dez Mandamentos”, repetido nas bilheterias do cinema com uma versão reeditada, a Record se aventura no mundo do teatro a partir desta sexta (17), quando estreia “Os Dez Mandamentos – O Musical”, no Teatro Procópio Ferreira, em São Paulo, em parceria com a Chaim Produções, de Sandro Chaim.

“Estamos estabelecendo uma maior conexão com o espectador”, diz Antonio Guerreiro, superintendente de Estratégia Multiplataforma da Record, ao Blog do Arcanjo do UOL, sobre a integração de conteúdo em diversas áreas. Segundo o executivo, as tramas bíblicas não são as únicas que podem virar espetáculos teatrais. “Podemos adaptar qualquer um de nossos produtos. Nada impede que a novela ‘Escrava Mãe’  vire um musical, por exemplo”, adianta.

O musical com a história de Moisés libertando o povo hebreu da escravidão no antigo Egito foi montado em pouquíssimo tempo para este tipo de superprodução. A seleção de elenco e ensaios foram feitos nos últimos dois meses, em ritmo mais que intenso. Para deixar tudo pronto para a estreia, foi preciso convocar uma profissional experiente do meio, a diretora e coreógrafa Fernanda Chamma. Com larga experiência nos palcos, onde já trabalhou com nomes como Wolf Maya e Miguel Falabella, ela dirigiu no ano passado o musical da Broadway “Mudança de Hábito”, produzido pela T4F. Do grande público, ela é conhecida por ser jurada do quadro “Dança dos Famosos” do “Domingão do Faustão”, na Globo.

Fernanda, com codireção de Daniela Stirbulov, logo impôs seu ritmo frenético e criativo de trabalho. Não quis saber de falas impostadas no elenco, mesmo com o vocabulário bíblico do texto escrito por Emilio Boechat, o mesmo autor da novela. “Não tenho medo de me arriscar, das críticas, muito pelo contrário, sou superaberta e aprendo com elas. Posso dizer que como diretora, coreógrafa ou produtora eu crio. E gosto de me divertir! Por isso, neste musical, estou rodeadas de amigos, gente em quem confio”, fala Fernanda, com seu jeito despachado.

Deserto no palco do Procópio Ferreira: efeitos especiais - Foto: Antonio Chahestian

Deserto no palco do Procópio Ferreira: efeitos especiais – Foto: Antonio Chahestian

Filmes da Disney e Bíblica

Na pele do quarteto protagonista, estão os atores Julio Mancini, como Moisés, Thiago Machado, interpretando Ramsés, Bruna Pazinato, na pele de Nefertari, e Tassia Cabanas, como Zipora. Julio Mancini diz que fez minucioso trabalho para não deixar “artificial e piegas” a fala bíblica do espetáculo. E lembra que o ritmo é intenso, já que “muitas décadas são contadas em duas horas”. Já Thiago Machado buscou inspiração nas tragédias épicas gregas para viver o que chama de “tensão constante” de Ramsés. Bruna diz que sua Nefertari é “muito intensa” e que fez “pesquisa emocional” para compor a personagem. Tassia, por sua vez, conta que o mais difícil em viver Zipora foi encontrar a “leveza” da personagem, que contrasta com a densidade da história. E ainda confessa: “Vi filmes da Disney e li a Bíblia”.

As músicas originais que encaminham a história foram feitas por Wladimir Pinheiro, que compôs a toque de caixa e recebe elogios de toda a equipe. “Quando compus, o elenco já estava escalado e eu já sabia quem iria cantar o quê”, revela, afirmando que isso o ajudou no processo. Outro nome importante dos bastidores é Richard Luiz, que cuidou da cenografia que dialoga com a luz criada por Paulo Cesar Medeiros.

Após TV e cinema, febre do antigo Egito chega aos palcos - Foto: Antonio Chahestian

Após TV e cinema, febre do antigo Egito chega aos palcos – Foto: Antonio Chahestian

No palco, está um gigante painel de LED de alta resolução, com 13 metros de largura e 4,5 metros de altura, com 232 monitores e duas toneladas de peso. Tudo ligado a um equipamento de som de qualidade 5,1 canais. Luiz criou 65 vídeos diferentes, responsáveis, por exemplo, pela esperada e impactante cena de abertura do Mar Vermelho. Os números também são grandiosos nos camarins: cerca de 50 pessoas entram e saem do palco durante a encenação, que conta com mais de cem figurinos, 80 perucas e 200 objetos de cena, alguns banhados a ouro, segundo a produção.

Com tudo pronto para a estreia, Fernanda Chamma confessa que chegou a ficar temerosa quando recebeu o convite. “Fiquei com medo, sim. Pensava: como sair dessa coisa plumas e paetês que estou acostumada? Mas demos conta”, afirma, orgulhosa. E como é dirigir um musical bíblico? Ela responde de forma direta: “Eu não me prendo nessa coisa de religião, até porque tenho várias nas quais acredito e respeito, como o espiritismo, a católica e o budismo. Posso te dizer que ‘Os Dez Mandamentos’ tem a estrutura de um musical americano, com começo, meio e fim. Estamos contando uma bela história. E você vai ver, minha cobra é muito doida e meus abanadores dançam”, entrega, bem humorada.

“Os Dez Mandamentos – O Musical”
Quando: Quinta e sexta, 21h, sábado, 18h e 21h, domingo, 17h e 20h. 120 min. Estreia em 17/6/2016. Até 2/10/2016
Onde: Teatro Procópio Ferreira – Rua Augusta, 2.823, Jardins, São Paulo, tel. 11 3083-4475
Quanto: R$ 90 a R$ 150
Classificação etária: Livre

Saiba mais notícias dos artistas nos palcos!

Você pode gostar...