Domingou: Deixem a Fernanda Azevedo falar!

Fernanda Azevedo, em cena de Morro como um País: atriz sofreu ataques de colegas por ter protestado no Prêmio Shell de Teatro – Foto: Bob Sousa

Por MIGUEL ARCANJO PRADO
Fotos de BOB SOUSA

Foi só a atriz Fernanda Azevedo dizer quatro linhas a mais em seu agradecimento ao Prêmio Shell de melhor atriz, nesta última semana, que parte do mundo teatral resolveu crucificá-la.

Expliquemos.

A atriz, que faz a peça Morro como um País, na qual conta as agruras do golpe militar no Brasil que ainda chegam até nós, resolveu trazer a informação no palco de que a Shell foi uma das empresas que apoiaram a ditadura. Diante da situação inesperada, o clima foi de perplexidade.

O dilema não está no que Fernanda disse, afinal, ela exerceu sua liberdade de expressão. Ele está nas reações que ela provocou.

BRUNO MACHADO: Fernanda Azevedo tem direito à incoerência
KIL ABREU: Fernanda Azevedo desafiou a fantasia e apanhou

Ainda vivemos em uma democracia, é sempre bom lembrar. Como também é importante reiterar que artistas costumam ser questionadores e apresentar novas formas de ver o mundo.

Fernanda Azevedo com Vlado no peito: homenagem ao jornalista assassinado nos porões da ditadura militar – Foto: Bob Sousa

A reação contrária a Fernanda surgiu em parte da classe artística, sobretudo nas redes sociais, aproveitando a impunidade das relações virtuais. E que bom que todos têm o direito democrático de manifestar-se.

Muitos tomaram as dores da Shell e criticaram Fernanda com veemência. A transformaram em um pária. Diante da fúria de alguns, até parecia que a atriz havia cometido um crime. Como ela pôde se rebelar contra uma grande empresa que lhe honrou com um prêmio?

Houve até quem baixasse o nível da discussão, afirmando que ela foi à festa, comeu e bebeu champanhe, para depois criticar. Como um cachorro que não reconhece o dono e morde a mão que lhe dá de comer.

Leia entrevista exclusiva com Fernanda Azevedo
Veja a cobertura completa do Prêmio Shell de Teatro de SP

Diante de tudo isso fica a questão: será que o fato de uma multinacional do petróleo oferecer alguns quitutes e bebidas à classe teatral é o suficiente para toda esta defesa passional? Ou o ataque explícito à atriz é um pedido de “me premiem, por favor, que não faço a desfeita”.

Não custa nada lembrar que uma grande empresa oferecer comes e bebes em uma premiação nada mais é do que uma ação de marketing. Tudo em troco de fotografar os artistas com seu logo atrás. Como foi feito com Fernanda e todos que estavam na Estação São Paulo na última terça (18). Isso não é beneficência. O preço sai até barato diante da propaganda espontânea.

BRUNO MACHADO: Fernanda Azevedo tem direito à incoerência
KIL ABREU: Fernanda Azevedo desafiou a fantasia e apanhou

No afã contra a colega, houve até quem dissesse que Fernanda não poderia criticar o Shell, já que levou os R$ 8.000 do prêmio. Mais um argumento falacioso. Afinal, se o júri acha que ela mereceu e resolveu concedê-la, ela tem direito de ir, receber e falar mal do prêmio se assim desejar.

Convenhamos, R$ 8.000 é uma quantia infinitesimal diante da receita da Shell, que é de quase US$ 500 bilhões, com lucro anual de mais de US$ 30 bilhões nos mais de 140 países onde atua, o que a coloca entre as três maiores empresas do mundo. E todo esse lucro, não custa nada reforçar, é feito com o suor de muita gente que parte do teatro prefere esquecer, enquanto artistas como Fernanda ainda insistem em lembrar.

Leia entrevista exclusiva com Fernanda Azevedo
Veja a cobertura completa do Prêmio Shell de Teatro de SP

Ps1. No fatídico 1968, a polêmica se deu porque os artistas do teatro paulista resolveram devolver os prêmios Saci ao jornal O Estado de S. Paulo, por este defender a censura em um editorial. Uma importante atriz encabeçou a lista do protesto. Seu nome era Cacilda Becker.

Ps2. O mesmo jornal publicou, nesta semana, que a MITsp (Mostra Internacional de Teatro de São Paulo), cuja primeira edição neste mês foi sucesso de público, deveria repensar a gratuidade dos ingressos, sugerindo explicitamente que o evento tenha entrada paga na próxima edição. Pela lógica apresentada, se lotou demais não é bom. A saída seria cobrar ingresso e tirar o povo da parada. Para que gente que não pode pagar precisa de espetáculo internacional? E esqueçamos todos que parte da conta da MITsp foi paga com dinheiro público. Assim, a solução apresentada nada mais é do que a revogação do direito a um bem cultural por parte de todos os cidadãos que o financiaram. Salvo a distância, revogação de direitos civis é algo que foi mote 50 anos atrás neste País com apoio de parte da sociedade e de empresas beneficiadas, como Fernanda Azevedo bem lembrou em seu discurso.

BRUNO MACHADO: Fernanda Azevedo tem direito à incoerência
KIL ABREU: Fernanda Azevedo desafiou a fantasia e apanhou

Fernanda Azevedo em Morro como um País: discurso que incomoda muita gente – Foto: Bob Sousa

Leia entrevista exclusiva com Fernanda Azevedo
Veja a cobertura completa do Prêmio Shell de Teatro de SP

Curta nossa página no Facebook!

Leia também:

Fique por dentro do que rola no mundo teatral

Descubra tudo o que as misses aprontam

Tudo que você quer ler está em um só lugar. Veja só!

Please follow and like us:

2 Resultados

  1. Felipe disse:

    Creio que aqui se aplica a popular, porém eficaz expressão “fazer tempestade em copo d´água”. Se Fernanda foi premiada, foi porque a julgaram digna de tanto. Foi mérito dela. E se ela falou, ela apenas exerceu seu direito de livre expressão. Nada mais. Não sei por que todo esse ódio contra a pessoa dela. Pelo que leio, a impressão que tenho é que foram criados dois grandes blocos: os pró-Fernanda e os contrários. Além, obviamente, daqueles que preferem se abster, por motivos diversos. Acho tudo tão fácil de ser compreendido: se ela ganhou, parabéns para ela! E se ela falou, foi direito dela. Simples assim!

  1. 25/03/2014

    […] ainda: MIGUEL ARCANJO PRADO – Deixem a Fernanda Azevedo falar! BRUNO MACHADO – Fernanda tem direito à incoerência KIL ABREU – Fernanda desafiou a fantasia e […]

Deixe um comentário para Felipe Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Festival de Curitiba anuncia novidades em 2023 II Expo Internacional Consciência Negra SP The Crown mostra que Charles traiu Diana Caetano Veloso se emociona em show após morte de Gal Costa Prêmio Arcanjo de Cultura acontece no Teatro Sérgio Cardoso