Sagrada Profana pede ajuda para representar mulher brasileira nos EUA

Fanfarra Feminina Sagrada Profana pede ajuda para representar a música da mulher brasileira nos EUA – Foto: Divulgação/Sagrada Profana – @miguel.arcanjo UOL

Um dos mais famosos blocos do Carnaval de BH, sempre com suas mulheres empoderadas e com corpos libertos contra o patriarcado, a Fanfarra Feminina Sagrada Profana vive um momento de internacionalização. Sua banda foi convidada a representar a música brasileira nos Estados Unidos.

Diante da forte repercussão de seu trabalho, o grupo belo-horizontino acaba de ser especialmente convocado a participar do HONK Somerville, o maior festival de fanfarras de rua do mundo, realizado em Boston, na costa oeste norte-americana.

Para viabilizar a empreitada, o grupo está com uma campanha de financiamento coletivo.

“O objetivo de criarmos essa campanha é para nos ajudar a cobrir os gastos de viagem do nosso grupo. O HONK é um festival sem fins lucrativos e as bandas participantes não recebem cachê. O que eles oferecem é 2/3 do preço das passagens. Precisamos de ajuda para cobrir o restante, além dos gastos com hospedagem e alimentação das 13 pessoas que formam o grupo”, explica Nara Torres, fundadora da Sagrada Profana, em conversa com Miguel Arcanjo.

Nara Torres – Foto: Lucas Chagas e Bruna Brandão/Divulgação – Blog do @miguel.arcanjo UOL

Nara adianta que, “nesse processo do HONK Sumerville, fomos convidadas também para compor a grade de bandas a se apresentarem em Providence, no PRONK, e em Nova York, no HONK NY. O cronograma de apresentações está sendo construído e logo divulgaremos oficialmente”, promete.

A Sagrada Profana considera a viagem “uma oportunidade incrível de intercâmbio profissional e cultural”, como forma de “de ampliar redes e conexões com mulheres de todo o mundo”.

As integrantes prometem “representar, com muita honra e responsabilidade, o Carnaval de rua, a cultura popular, a música instrumental e poder ressignificar a imagem da mulher brasileira no exterior”. Elas esperam a ajuda daqueles que “gostam e apoiam nosso trabalho e que acreditam no feminismo como forma de revolucionar a sociedade”.

Ajude a Sagrada Profana a se apresentar nos EUA

A artista Dagmar Bedê desfila na Sagrada Profana em BH com os seios livres – Foto: Marcus Desimoni/UOL – @miguel.arcanjo

A Sagrada Profana nasceu em 2016 “com o objetivo de evidenciar a mulher através da música e da arte”. O bloco carnavalesco mineiro reuniu cerca de 150 mulheres, divididas em alas de sopro, percussão, circo, dança e canto, que sempre arrastaam milhares de pessoas pelas ruas da capital mineira.

Diante do forte sucesso, o bloco cresceu e passou a se apresentar também em formato banda, em palcos e em formação cortejo, além de oferecer oficinas de músicas, promover debates sobre as mulheres e fazer a festa na qual as compositoras são prioridade máxima.

Ajude a Sagrada Profana a se apresentar nos EUA

Siga @miguel.arcanjo

Ver essa foto no Instagram

 

Uma publicação compartilhada por @sagradaprofanabh em

Você pode gostar...