Júri do In-Edit Brasil consagra ‘O Barato de Iacanga’, de Thiago Mattar

O cineasta Thiago Mattar, diretor do filme “O Barato de Iacanga”, que venceu o prêmio do júri no 11º Festival In-Edit Brasil – Foto: Leo Lara – Universo Produção – Divulgação – Blog do @miguel.arcanjo – UOL

O filme “O Barato de Iacanga”, dirigido pelo cineasta Thiago Mattar, é vencedor por unanimidade do prêmio do júri do Festival In-Edit Brasil 2019, realizado em São Paulo e focado em documentários musicais.

Com imagens raras de shows de nomes como João Gilberto, Gonzaguinha e Gilberto Gil aliadas a uma narrativa envolvente, o documentário recupera a história do Festival de Águas Claras, chamado de Woodstock brasileiro, até então desconhecida do grande público deste país sem memória.

O lendário festival com forte pegada hippie foi realizado entre as décadas de 1970 e 1980 em Iacanga, no interior paulista, enfrentando a perseguição da ditadura militar por conta de seus corpos jovens, livres e em festa.

Leia entrevista exclusiva com Thiago Mattar sobre o filme “O Barato de Iacanga”

O prêmio do júri do In-Edit coroa dez anos de trabalho árduo  e incansável do cineasta, que garimpou com obsessão de um excelente documentarista imagens raras do evento e entrevistar pessoas que o testemunharam, buscando descortinar a história do festival criado por Antonio Cecchinn Jr., o Leivinha, em conjunto com sua família em uma fazenda do interior paulista.

Em conversa exclusiva com o Blog do Arcanjo logo após saber da vitória de seu filme, Thiago Mattar estava emocionado com a vitória.

“Era um ano difícil. Muitos filmes incríveis em competição. Não dava pra saber quem iria levar. Agradeço de coração o carinho do júri em reconhecer a importância do filme”, falou.

“Devo esse prêmio ao apoio incondicional da bigBonsai, da diretora de produção Bruna Rodrigues e ao talento do meu montador Guilherme Algon! Esse prêmio é deles!”, ofereceu.

Thiago Mattar: dez anos de pesquisa obsessiva para realizar o filme “O Barato de Iacanga”, vencedor do Festival In-Edit Brasil e que recupera a história do Festival de Águas Claras, o Woodestock brasileiro – Foto: Leo Lara – Universo Produção – Divulgação – Blog do @miguel.arcanjo – UOL

Mattar conta que soube da vitória na rua, quando ia assistir a outro filme do In-Edit Brasil.

“O Leonardo, da direção do festival, me ligou durante a apresentação de outro filme na Cinemateca e pediu aplausos da plateia. Eu achei que era piada. Depois, o Marcelo Aliche, diretor artístico do festival, também me ligou e confirmou que o júri decidiu por unanimidade dar o prêmio para ‘O Barato de Iacanga'”, celebra.

O júri do 11º Festival In-Edit Brasil 2019 é composto por Camila Miranda, Ana Rieper, Alessandra Dorgan e Lúcio Ribeiro.

Marcelo Aliche, diretor artístico do festival, afirmou que “O Barato de Iacanga” traz “uma excepcional narrativa e ótimo material de arquivo”.

“O Barato de Iacanga”, que antes do In-Edit foi destaque na CineOP – Mostra de Cinema de Ouro Preto, agora será exibido na edição 2019 do In-Edit em Barcelona e fará parte do circuito internacional dos festivais In-Edit.

O júri do In-Edit Brasil ainda concedeu o prêmio especial para “Dorival Caymmi – Um Homem de afetos”, dirigido por Daniela Broitman. Já o filme vitorioso pelo público será revelado neste domingo (23), quando o festival chega ao fim.

Leia entrevista exclusiva com Thiago Mattar sobre o filme “O Barato de Iacanga”

Filme “O Barato de Iacanga” mostra o Woodstok brasileiro: João Gilberto toca no Festival de Águas Claras, que marcou os anos 1970 e 1980 e estava esquecido na história de nossa música e foi recuperado pelo longa de Thiago Mattar vencedor do 11º Festival In-Edit Brasil  – Foto: Divulgação – Blog do @miguel.arcanjo – UOL

Ver essa foto no Instagram

 

Uma publicação compartilhada por O BARATO DE IACANGA (@obaratodeiacanga) em

Siga @miguel.arcanjo no Instagram

Ver essa foto no Instagram

 

Uma publicação compartilhada por Miguel Arcanjo Prado (@miguel.arcanjo) em

Você pode gostar...