Carlinhos Brown é criticado por cobrar ingresso em festa para Yemanjá

Carlinhos Brown causa polêmica na Bahia ao cobrar ingresso em festa de Yemanjá: religiosos de matriz africana não gostaram – Foto: Divulgação/Globo – Blog do Arcanjo – UOL

O músico baiano Carlinhos Brown, 56 anos, está sendo criticado em Salvador por fazer uma festa fechada com cobrança de ingresso para celebrar Yemanjá neste sábado (2), dia do orixá das águas salgadas.

Em entrevista à Rádio Metrópole de Salvador, o historiador Jaime Nascimento afirmou que estão mercantilizando uma festa de cunho religioso e usando o orixá para ganhar dinheiro.

“É abuso do ponto de vista de se apropriar de uma coisa que é sagrada. Usar o sagrado do outro para fazer comércio”, afirmou o estudioso.

Nascimento condenou o evento fechado “Enxaguada de Yemanjá”, a pré-folia com o nome do orixá promovida pelo músico Carlinhos Brown no bairro do Rio Vermelho, no Antigo Mercado do Peixe, na tarde e noite deste sábado (2).

“Que faça a enxaguada do Bonfim, que é uma lavagem. Mas numa festa do povo dele, já que ele é homem negro e diz que é ligado ao candomblé, fazer a enxaguada de Yemanjá é um pouquinho demais”, criticou Nascimento. Brown não comentou a polêmica.

Os ingressos para a “Enxaguada de Yemanjá” variaram de R$ 70 a R$ 120 no 1º lote, apurou o Blog do Arcanjo no UOL. Entre as atrações da festa estão Jorge Aragão, Dudu Nobre, Mariene de Castro e Timbalada.

Cadê o nome do orixá? Cartazes da Festa de Yemanjá causaram polêmica na Bahia – Foto: Reprodução/Divulgação/PRefeitura de Salvador – Blog do Arcanjo – UOL

Sumiço de Yemanjá no cartaz gera polêmica

Outra polêmica em Salvador se deu por conta dos cartazes da celebração de Yemanjá na cidade.

A Prefeitura de Salvador usou o termo “Festa 2 de Fevereiro” nos cartazes da festa religiosa, em vez de “Festa de Yemanjá”. Houve quem enxergasse um possível racismo ou perseguição com a divindade africana por parte do poder público.

Membros das religiões de matriz africana criticaram a Prefeitura soteropolitana, acusando-a de tentar esconder o nome do orixá. Até o Ministério Público da Bahia foi acionado, exigindo que o nome de Yemanjá voltasse ao cartaz.

Diante das reclamações e da polêmica, os cartazes públicos voltaram a ter o nome da Rainha das Águas: “Festa de Yemanjá”.

Cartaz com o nome de Yemajá recomendado pelo Ministério Público da Bahia – Foto: Divulgação/MP – Blog do Arcanjo – UOL

Siga Miguel Arcanjo Prado no Instagram

Você pode gostar...