Festival cênico Mirada mantém força internacional mesmo diante da crise

Cena da peça colombiana Labio de Liebre que abre o Mirada nesta quarta (5): festival vai até dia 15 na Baixada Santista com 41 espetáculos, sendo 25 internacionais – Foto: Juan Antonio Monsalve – Divulgação Mirada – Blog do Arcanjo – UOL

O Mirada – Festival Ibero-Americano de Artes Cênicas chega à sua quinta edição nesta quarta (5) com 41 espetáculos de teatro e de dança representando 13 países em apresentações em nove cidades da Baixada Santista até o próximo dia 15 de setembro.

Criado em 2010, momento em que o Brasil vivia apogeu econômico e forte prestígio internacional frutos da Era Lula, o objetivo do Mirada, festival bienal, sempre foi integrar o teatro dos países que falam as línguas portuguesas e espanhola, reunindo os palcos da América Latina aos de Portugal e Espanha.

E assim permanece, mantendo-se robusto mesmo em tempos de crise econômica e política que sacodem a América Latina atualmente, tornando a região uma terra com futuro difícil de se prever.

“Em um mundo sacudido por frequentes crises socioeconômicas e humanitárias, uma forma do Sesc manifestar sua corresponsabilidade passa pela manutenção de uma agenda de festivais e eventos diversos dedicados ao encontro, ao intercâmbio, à reflexão e ao debate coletivo”, afirma Danilo Santos de Miranda, gerente do Sesc São Paulo, realizador do Mirada.

Ele complementa: “Reverberando pautas urgentes e necessárias por meio de temáticas relacionadas aos princípios democráticos e às liberdades criativas, o Mirada pretende fortalecer nosso compromisso com a rica diversidade ibero-americana ao conectar e envolver diferentes pontos desse corredor sociocultural. Trata-se de fortalecer o papel das artes como vetor de celebração, mudança e resistência”.

Danilo Santos de Miranda no Sesc Santos durante a edição 2016 do Mirada – Foto: Bob Sousa – Blog do Arcanjo – UOL

Com sede no Sesc Santos, o evento celebra desta vez a produção cênica da Colômbia, que traz nove espetáculos inéditos no Brasil, entre eles “Labio de Liebre”, do Teatro Petra, que abre o festival na noite desta quarta (5). A programação ainda traz a estreia da nova peça do Centro de Pesquisa Teatral, o CPT, dirigido pelo ícone do teatro brasileiro Antunes Filho: “Eu Estava em Minha Casa e Esperava que a Chuva Chegasse”.

A diversidade brasileira está representada por 16 produções de sete Estados: Bahia (Salvador), Minas Gerais (Belo Horizonte e Barbacena), Paraná (Curitiba), Rio Grande do Norte (Natal), Rio Grande do Sul (Porto Alegre e Canoas), Rio de Janeiro (Rio de Janeiro) e São Paulo (São Paulo).

Já as produções internacionais somam 25 trabalhos: nove obras inéditas da Colômbia, sendo seis peças teatrais e três espetáculos de dança, além de uma instalação, e peças vindas da Argentina, Bolívia, Chile, Equador, Espanha, México, Nicarágua, Paraguai, Peru, Portugal e Uruguai.

Conheça a programação do Mirada

Por Miguel Arcanjo Prado

Please follow and like us:
Brasil e Argentina se beijam na Copa do Mundo do Qatar 2022 Após críticas, Nômade Festival coloca negros com Erykah Badu Festival de Curitiba anuncia novidades em 2023 II Expo Internacional Consciência Negra SP The Crown mostra que Charles traiu Diana