Racismo e repressão política são temas no 18º FIT Rio Preto

A atriz Ivy Souza em cena da peça Isto É Um Negro?, na programação do 18º FIT Rio Preto, que começa nesta quinta (5) com 20 peças em dez dias – Foto: Rodrigo de Oliveira/Divulgação – Blog do Arcanjo – UOL

Por Miguel Arcanjo Prado
Enviado especial a São José do Rio Preto (SP)*

Começa nesta quinta (5) e vai até 14 de julho a 18ª edição do FIT Rio Preto, o Festival Internacional de Teatro de São José do Rio Preto, no interior de São Paulo, um dos principais eventos das artes cênicas no Brasil.

A abertura está marcada para 19h30, no Anfiteatro Nelson Castro, na Represa Municipal, com o espetáculo gratuito “Luiz Lua Gonzaga”, do Grupo Magiluth, de Recife, que tem no elenco atores que estão na novela da Globo “Onde Nascem os Fortes”.

A programação do festival, que afirma convidar o público à reflexão e ao posicionamento, respira a ebulição política e social que vive o Brasil dos últimos meses, com temas polêmicos presentes nos palcos, como o racismo, a homofobia, a violência e a repressão policial.

Com destaque para “Preto”, peça da companhia brasileira de teatro com as atrizes Renata Sorrah e Grace Passô, “O Ânus Solar”, nova montagem do performer Maikon K, que foi preso em Brasília no ano passado por ter ficado nu durante uma apresentação artística, e “Isto É Um Negro?”, espetáculo que busca discutir o racismo estrutural brasileiro, tema constantemente em ebulição.

O evento conta com 20 espetáculos na programação — que representam ao todo quatro países e 6 Estados brasileiros — em 16 espaços na cidade, totalizando mais de 50 apresentações. Ele é fruto de parceria entre a Prefeitura de São José do Rio Preto e o Sesc São Paulo.

Renata Sorrah e Grace Passô em cena da peça Preto, que está na programação do 18º FIT Rio Preto – Foto: Tiago Lima/Divulgação – Blog do Arcanjo – UOL

O festival conta com três espetáculos internacionais: “Dueto para Um” (Duet For One), da Finlândia, que tem a direção e atuação de Reeta Honkakoski, o francês “Tarde de Ventania – Versão 1” (L’après-Midi D’un Foehn – Version 1), concebido por Phia Menard, e a obra argentina “Tudo que Está ao Meu Lado” (Todo lo que está a mi lado), de Fernando Rubio.

Entre as peças nacionais que se destacam na programação estão ainda “Guanabara Canibal” (Aquela Cia de Teatro), “Mortos-Vivos: Uma Ex-Conferência” (Foguetes Maravilha) e “Caliban – A Tempestade de Augusto Boal” (Tribo de Atuadores Ói Nóis Aqui Traveiz) e “Cabaret Macchina” (Selvática Ações Artísticas).

As atrizes Patricia Cipriano (abaixo) e Patricia Saravy (acima) em cena de “Cabaret Macchina”, da Selvática sob direção de Ricardo Nolasco, que está no 18º FIT Rio Preto – Foto: Humberto Araujo/Divulgação – Blog do Arcanjo – UOL

O FIT Rio Preto se ergue após problemas financeiros enfrentados nas últimas edições. O Prefeito de São José do Rio Preto, Edinho Araújo, afirma que a parceria com o Sesc São Paulo foi fundamental para a concretização do evento. “Esse trabalho conjunto e harmonioso se repete agora em 2018 trazendo a convicção de que teremos, mais uma vez, um festival de alto nível, referência nacional e internacional”, fala.

Danilo Santos de Miranda, diretor regional do Sesc em São Paulo, diz que “o Festival Internacional de Teatro de São José do Rio Preto promove um estreitamento da parceria entre o Sesc e a cidade de Rio Preto, como fruto da compatibilidade da missão da instituição e o importante papel que a municipalidade pode exercer na difusão e no fomento às artes, especialmente as performáticas, como o Teatro”.

“Território do simbólico, o FIT traz ao público a oportunidade de refletir sobre montagens nacionais com contextos universais, confrontar montagens internacionais aos contextos locais e assim fortalecer as conexões e compreensões, ampliando o diálogo e as possibilidades de leitura do efervescente mundo contemporâneo”, afirma Miranda.

A curadoria deste ano é assinada por Janaina Leite, Marcos Bulhões e Sérgio Luis Venit de Oliveira.

Cena da peça Tudo Que Está ao Meu Lado, da Argentina: destaque internacional no 18º FIT Rio Preto – Foto: Conrado Krivochein/Divulgação – Blog do Arcanjo – UOL

Cena Rio Preto

Os artistas locais não ficarão de fora da programação. Criada em 2017, a categoria Cena Rio Preto se mantém no FIT como espaço que privilegia da produção teatral local.

Companhias, artistas e coletivos residentes em Rio Preto foram selecionados em dois módulos de participação: Módulo A, que contempla apresentações de espetáculos prontos, e Módulo B, direcionado a obras abertas a provocações, que recebem orientações de profissionais convidados em formato de residência artística.

Seis trabalhos foram contemplados na categoria, entre elas o infantil “Eufonia”, da Cia. dos Pés, que desde o início do ano vem realizando temporadas bem-sucedidas em grandes polos culturais como São Paulo, Brasília e Curitiba.

*O jornalista Miguel Arcanjo Prado viajou a convite do FIT Rio Preto.

Confira a programação completa do 18º FIT Rio Preto  

Siga Miguel Arcanjo Prado

Cena de Eufonia, da Cia dos Pés, de São José do Rio Preto, que participa da Cena Rio Preto no 18º FIT Rio Preto – Foto: Lincoln Costa/Divulgação – Blog do Arcanjo – UOL

Você pode gostar...