Festival SatyriCine Bijou une gerações do cinema com mostra competitiva e 83 filmes online

Por MIGUEL ARCANJO PRADO
@miguel.arcanjo

Paulo José, Tarcísio Meira e Sergio Mamberti, artistas que o Brasil perdeu recentemente, estarão nas telas do novo festival de cinema da cidade de São Paulo: o Satyricine Bijou, que ocorre de 22 a 29 de setembro com ingressos pela Sympla. O evento é produzido pelo Satyros Cinema, braço audiovisual da Cia. de Teatro Os Satyros e celebra a reabertura do icônico Cine Bijou na praça Roosevelt, reduto lendário da intelectualidade e cinefilia paulistana.

O festival ocorre de modo digital e reúne 83 filmes entre longas e curtas-metragens que criam interessantes pontes entre diferentes gerações do cinema brasileiro. São quatro segmentos: Mostra Competitiva, Mostra do Novo Cinema Brasileiro, Mostra Para Atravessar o Fim do Mundo e Mostra Memória.

“O evento celebra a retomada artística do Cine Bijou, espaço histórico da cinefilia paulista, reduto dos filmes de arte que escapavam da censura durante o regime militar. A sala será reaberta oficialmente em 2022”, avisam Ivam Cabral e Rodolfo García Vázquez, idealizadores do novo festival cinematográfico e novos gestores da sala de cinema.

Todas as exibições acontecerão pela plataforma Sympla Play, com cada filme permanecendo disponível ao público pelo período de 3 a 7 dias. Os filmes que participam deste Festival foram cedidos por diretores, produtores e distribuidores sem qualquer custo, como apoio ao projeto de Reabertura do Cine Bijou.

Jurados do Festival SatyriCine Bijou: no alto, Alain Fresnot, Arly Arnaud, Daniel Schenker e Hsu Chien Hsin; abaixo, Júlia Barreto, Miguel Arcanjo Prado, Nicole Puzzi e Silvio Tendler – Foto: Divulgação – Blog do Arcanjo

Júri do Festival SatyriCine Bijou

O júri reúne atores, críticos e cineastas. Foram convocados os cineastas Silvio Tendler, Alain Fresnot (presidente do júri), Hsu Chien Hsin, a cineasta e produtora Júlia Barreto, os jornalistas e críticos Daniel Schenker e Miguel Arcanjo Prado (diretor deste Blog do Arcanjo) e as atrizes Nicole Puzzi e Arly Arnaud. Os vencedores na lista prévia de 13 longas e 16 curtas que competem serão laureados com o Troféu SatyriCine Bijou, criado especialmente pela artista plástica ítalo-brasileira Maria Bonomi.

Os vencedores da Mostra Competitiva serão anunciados em live no Instagram da Cia de Teatro Os Satyros (@ossatyros), no dia 29 de setembro, às 20h. Já a premiação, será realizada durante a edição do Festival Satyrianas, importante evento cultural organizado pela Cia. de Teatro Os Satyros, em dezembro deste ano.

Helena Ignez será homenageada no Festival SatyriCine Bijou – Foto: Leo Lara/Universo Produção/Mostra de Cinema de Tiradentes – Blog do Arcanjo

Helena Ignez ganha homenagem

Além dos vencedores da Mostra Competitiva, haverá ainda a entrega do Grande Prêmio Satyricine Bijou, que a cada edição homenageará um nome importante do cinema brasileiro. Nesta primeira edição, a homenageada será a atriz e cineasta Helena Ignez, com farta trajetória no Cinema Novo como atriz e mais recentemente realizadora de diversos longas.

Ivam Cabral e Rodolfo García Vázquez, idealizadores do Festival SatyriCine Bijou, que reabre de forma digital a programação do Cine Bijou, que abre as portas em 2022 – Foto: Bob Sousa – Blog do Arcanjo

Mostra Competitiva

Na Mostra Competitiva serão exibidas produções realizadas nos últimos dois anos, por novos diretores que estão no seu primeiro ou segundo filme. Serão 13 longas e 16 curtas.

Os vencedores da Mostra Competitiva serão anunciados em live no Instagram da Cia de Teatro Os Satyros (@ossatyros), no dia 29 de setembro, às 20h. Já a premiação, será realizada durante a edição do Festival Satyrianas, importante evento cultural organizado pela Cia de Teatro Os Satyros, em dezembro deste ano.

Mostra do Novo Cinema Brasileiro

Também com longas e curtas, exibirá filmes significativos de diretores que surgiram no século 21 e vêm se firmando no cenário nacional e internacional.

São filmes de Felipe Bragança, Karim Aïnouz, Gabriel Mascaro, Paulo Sacramento, Andradina Azevedo e Dida Andrade, Petrus Cariry, Gabriela Amaral Almeida, Affonso Uchoa e João Dumans, Kauê Telloli, Marco Dutra, Rodolfo Garcia Vazquez e Ivam Cabral, Joel Pizzini, cinco curtas de Kléber Mendonça Filho, além dos filmes experimentais de Gregorio Gananian, Negro Leo, Daniel Tagliari e Pedro Rocha. Estão ainda na lista “Velha Roupa Colorida”, de Gabriel Alvim, e “Nômade”, de Liz Reis

Serão exibidos também curtas que tiveram destaque em festivais e revelaram uma nova geração de cineastas, como Leonardo Martinelli, Leo Tabosa, Fábio Leal, Nara Normande, Bruno Autran, Sabrina Fidalgo, Marcus Curvelo, Julia Katharine, Thais de Almeida Prado, Lufe Bollini e Mariana Yomared.

Mostra Memória

Através de clássicos do cinema brasileiro, a mostra presta homenagem a grandes atrizes e atores que se foram recentemente. Serão exibidos “A Idade de Terra” de Glauber Rocha, com Tarcísio Meira; “O Padre e a Moça”, de Joaquim Pedro de Andrade, com Paulo José; “São Paulo SA”, de Luis Sérgio Person, com Eva Wilma; “O Casamento”, de Arnaldo Jabor, com Camila Amado; e “Luz nas Trevas”, de Helena Ignez, com Sérgio Mamberti.

Reabertura do Cine Bijou

O Cine Bijou foi uma das salas de cinema mais emblemáticas da cidade de São Paulo, tendo funcionado entre 1962 e 1996. Referência de resistência artística durante a ditadura militar, foi de fundamental importância na formação cultural de toda uma geração. A reabertura da histórica sala, localizada na Praça Roosevelt, vai também potencializar o complexo cultural e de lazer da região, formado por inúmeros teatros, bares e restaurantes, além da SP Escola de Teatro. A partir da reabertura oficial, em 2022, a sala será administrada pelo Coletivo Os Satyros.

O cinema receberá estrutura moderna e de excelência técnica, sem abrir mão das características da antiga sala. Será preservada a ideia de um espaço alternativo, democrático e acolhedor para o convívio do público e artistas, com programação voltada à exibição regular de filmes de arte e autorais de todas as partes do mundo, incluindo inovações e experimentações ligadas ao audiovisual, assim como a participação nas principais Mostras e Festivais que acontecem anualmente na cidade.

O cinema brasileiro terá foco especial, com empenho em colocar em cartaz filmes que não têm espaço no circuito ou passam meteoricamente pelas salas de exibição.

Durante a sua existência, o Cine Bijou abrigou filmes do Cinema Marginal, de movimentos alternativos-experimentais, além de clássicos do Cinema Novo. Entre 1964 e 1985, exibiu grandes filmes da história cinematográfica, como “Laranja Mecânica”, “Morangos Silvestres”, “Blade Runner” e “Indiana Jones”.

Festival SatyriCine Bijou

Idealização: Ivam Cabral e Rodolfo García Vázquez
Administração e Direção Geral: Ivam Cabral
Co-produção: Associação dos Artistas Amigos dos Satyros
Curadoria Mostra do Novo Cinema Brasileiro: Guilherme Marback
Curadoria Mostra Competitiva: Andradina Azevedo, Dida Andrade e Guilherme Marback.
Curadoria Mostra Memória: Guilherme Marback
Curadoria Mostra Para Atravessar o Fim do Mundo: Ivam Cabral e Rodolfo García Vázquez

Júri Mostra Competitiva: Alain Fresnot, Arly Arnaud, Daniel Schenker, Hsu Chien Hsin, Júlia Barreto, Miguel Arcanjo, Nicole Puzzi e Silvio Tendler

Troféu SatyriCine Bijou: Maria Bonomi
Design Gráfico, Edição e Trailer: Diego Ribeiro
Produção Geral: Silvio Eduardo
Produção Executiva: Guilherme Marback
Secretariado: Janna Julian
Assessoria Contábil: Maiara Cicutt
Social Media: Isabella Garcia
Assessoria de Imprensa: JSPontes – João Pontes e Stella Stephany

Retire seu ingresso para o SatyriCine Bijou

Siga @miguel.arcanjo

Inscreva-se no canal Blog do Arcanjo

O atributo alt desta imagem está vazio. O nome do arquivo é miguel-arcanjo-prado-foto-edson-lopes-jr.jpg

O jornalista e crítico de artes Miguel Arcanjo Prado é mestre em Artes pela UNESP, pós-graduado em Mídia e Cultura pela ECA-USP, bacharel em Comunicação pela UFMG e crítico da APCA, da qual foi vice-presidente. Está entre os melhores jornalistas de Cultura do Brasil pelo Prêmio Comunique-se. Passou por Globo, Record, Folha, Abril, Band e UOL. Dirige o Blog do Arcanjo e o Prêmio Arcanjo. Coordena a Extensão Cultural da SP Escola de Teatro e faz o Podcast do Arcanjo na OLA Podcasts. Foto: Edson Lopes Jr.

© Blog do Arcanjo – Cultura por Miguel Arcanjo Prado | Todos os direitos reservados | Proibida reprodução sem citação com link.

O atributo alt desta imagem está vazio. O nome do arquivo é podcast-do-arcanjo.jpg
Please follow and like us:

1 Resultado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *