Festival SatyriCine Bijou une gerações do cinema com mostra competitiva e 83 filmes online

Por MIGUEL ARCANJO PRADO
@miguel.arcanjo

Paulo José, Tarcísio Meira e Sergio Mamberti, artistas que o Brasil perdeu recentemente, estarão nas telas do novo festival de cinema da cidade de São Paulo: o Satyricine Bijou, que ocorre de 22 a 29 de setembro com ingressos pela Sympla. O evento é produzido pelo Satyros Cinema, braço audiovisual da Cia. de Teatro Os Satyros e celebra a reabertura do icônico Cine Bijou na praça Roosevelt, reduto lendário da intelectualidade e cinefilia paulistana.

O festival ocorre de modo digital e reúne 83 filmes entre longas e curtas-metragens que criam interessantes pontes entre diferentes gerações do cinema brasileiro. São quatro segmentos: Mostra Competitiva, Mostra do Novo Cinema Brasileiro, Mostra Para Atravessar o Fim do Mundo e Mostra Memória.

“O evento celebra a retomada artística do Cine Bijou, espaço histórico da cinefilia paulista, reduto dos filmes de arte que escapavam da censura durante o regime militar. A sala será reaberta oficialmente em 2022”, avisam Ivam Cabral e Rodolfo García Vázquez, idealizadores do novo festival cinematográfico e novos gestores da sala de cinema.

Todas as exibições acontecerão pela plataforma Sympla Play, com cada filme permanecendo disponível ao público pelo período de 3 a 7 dias. Os filmes que participam deste Festival foram cedidos por diretores, produtores e distribuidores sem qualquer custo, como apoio ao projeto de Reabertura do Cine Bijou.

Jurados do Festival SatyriCine Bijou: no alto, Alain Fresnot, Arly Arnaud, Daniel Schenker e Hsu Chien Hsin; abaixo, Júlia Barreto, Miguel Arcanjo Prado, Nicole Puzzi e Silvio Tendler – Foto: Divulgação – Blog do Arcanjo

Júri do Festival SatyriCine Bijou

O júri reúne atores, críticos e cineastas. Foram convocados os cineastas Silvio Tendler, Alain Fresnot (presidente do júri), Hsu Chien Hsin, a cineasta e produtora Júlia Barreto, os jornalistas e críticos Daniel Schenker e Miguel Arcanjo Prado (diretor deste Blog do Arcanjo) e as atrizes Nicole Puzzi e Arly Arnaud. Os vencedores na lista prévia de 13 longas e 16 curtas que competem serão laureados com o Troféu SatyriCine Bijou, criado especialmente pela artista plástica ítalo-brasileira Maria Bonomi.

Os vencedores da Mostra Competitiva serão anunciados em live no Instagram da Cia de Teatro Os Satyros (@ossatyros), no dia 29 de setembro, às 20h. Já a premiação, será realizada durante a edição do Festival Satyrianas, importante evento cultural organizado pela Cia. de Teatro Os Satyros, em dezembro deste ano.

Helena Ignez será homenageada no Festival SatyriCine Bijou – Foto: Leo Lara/Universo Produção/Mostra de Cinema de Tiradentes – Blog do Arcanjo

Helena Ignez ganha homenagem

Além dos vencedores da Mostra Competitiva, haverá ainda a entrega do Grande Prêmio Satyricine Bijou, que a cada edição homenageará um nome importante do cinema brasileiro. Nesta primeira edição, a homenageada será a atriz e cineasta Helena Ignez, com farta trajetória no Cinema Novo como atriz e mais recentemente realizadora de diversos longas.

Ivam Cabral e Rodolfo García Vázquez, idealizadores do Festival SatyriCine Bijou, que reabre de forma digital a programação do Cine Bijou, que abre as portas em 2022 – Foto: Bob Sousa – Blog do Arcanjo

Mostra Competitiva

Na Mostra Competitiva serão exibidas produções realizadas nos últimos dois anos, por novos diretores que estão no seu primeiro ou segundo filme. Serão 13 longas e 16 curtas.

Os vencedores da Mostra Competitiva serão anunciados em live no Instagram da Cia de Teatro Os Satyros (@ossatyros), no dia 29 de setembro, às 20h. Já a premiação, será realizada durante a edição do Festival Satyrianas, importante evento cultural organizado pela Cia de Teatro Os Satyros, em dezembro deste ano.

Mostra do Novo Cinema Brasileiro

Também com longas e curtas, exibirá filmes significativos de diretores que surgiram no século 21 e vêm se firmando no cenário nacional e internacional.

São filmes de Felipe Bragança, Karim Aïnouz, Gabriel Mascaro, Paulo Sacramento, Andradina Azevedo e Dida Andrade, Petrus Cariry, Gabriela Amaral Almeida, Affonso Uchoa e João Dumans, Kauê Telloli, Marco Dutra, Rodolfo Garcia Vazquez e Ivam Cabral, Joel Pizzini, cinco curtas de Kléber Mendonça Filho, além dos filmes experimentais de Gregorio Gananian, Negro Leo, Daniel Tagliari e Pedro Rocha. Estão ainda na lista “Velha Roupa Colorida”, de Gabriel Alvim, e “Nômade”, de Liz Reis

Serão exibidos também curtas que tiveram destaque em festivais e revelaram uma nova geração de cineastas, como Leonardo Martinelli, Leo Tabosa, Fábio Leal, Nara Normande, Bruno Autran, Sabrina Fidalgo, Marcus Curvelo, Julia Katharine, Thais de Almeida Prado, Lufe Bollini e Mariana Yomared.

Mostra Memória

Através de clássicos do cinema brasileiro, a mostra presta homenagem a grandes atrizes e atores que se foram recentemente. Serão exibidos “A Idade de Terra” de Glauber Rocha, com Tarcísio Meira; “O Padre e a Moça”, de Joaquim Pedro de Andrade, com Paulo José; “São Paulo SA”, de Luis Sérgio Person, com Eva Wilma; “O Casamento”, de Arnaldo Jabor, com Camila Amado; e “Luz nas Trevas”, de Helena Ignez, com Sérgio Mamberti.

Reabertura do Cine Bijou

O Cine Bijou foi uma das salas de cinema mais emblemáticas da cidade de São Paulo, tendo funcionado entre 1962 e 1996. Referência de resistência artística durante a ditadura militar, foi de fundamental importância na formação cultural de toda uma geração. A reabertura da histórica sala, localizada na Praça Roosevelt, vai também potencializar o complexo cultural e de lazer da região, formado por inúmeros teatros, bares e restaurantes, além da SP Escola de Teatro. A partir da reabertura oficial, em 2022, a sala será administrada pelo Coletivo Os Satyros.

O cinema receberá estrutura moderna e de excelência técnica, sem abrir mão das características da antiga sala. Será preservada a ideia de um espaço alternativo, democrático e acolhedor para o convívio do público e artistas, com programação voltada à exibição regular de filmes de arte e autorais de todas as partes do mundo, incluindo inovações e experimentações ligadas ao audiovisual, assim como a participação nas principais Mostras e Festivais que acontecem anualmente na cidade.

O cinema brasileiro terá foco especial, com empenho em colocar em cartaz filmes que não têm espaço no circuito ou passam meteoricamente pelas salas de exibição.

Durante a sua existência, o Cine Bijou abrigou filmes do Cinema Marginal, de movimentos alternativos-experimentais, além de clássicos do Cinema Novo. Entre 1964 e 1985, exibiu grandes filmes da história cinematográfica, como “Laranja Mecânica”, “Morangos Silvestres”, “Blade Runner” e “Indiana Jones”.

Festival SatyriCine Bijou

Idealização: Ivam Cabral e Rodolfo García Vázquez
Administração e Direção Geral: Ivam Cabral
Co-produção: Associação dos Artistas Amigos dos Satyros
Curadoria Mostra do Novo Cinema Brasileiro: Guilherme Marback
Curadoria Mostra Competitiva: Andradina Azevedo, Dida Andrade e Guilherme Marback.
Curadoria Mostra Memória: Guilherme Marback
Curadoria Mostra Para Atravessar o Fim do Mundo: Ivam Cabral e Rodolfo García Vázquez

Júri Mostra Competitiva: Alain Fresnot, Arly Arnaud, Daniel Schenker, Hsu Chien Hsin, Júlia Barreto, Miguel Arcanjo, Nicole Puzzi e Silvio Tendler

Troféu SatyriCine Bijou: Maria Bonomi
Design Gráfico, Edição e Trailer: Diego Ribeiro
Produção Geral: Silvio Eduardo
Produção Executiva: Guilherme Marback
Secretariado: Janna Julian
Assessoria Contábil: Maiara Cicutt
Social Media: Isabella Garcia
Assessoria de Imprensa: JSPontes – João Pontes e Stella Stephany

Retire seu ingresso para o SatyriCine Bijou

Siga @miguel.arcanjo

Inscreva-se no canal Blog do Arcanjo

O atributo alt desta imagem está vazio. O nome do arquivo é miguel-arcanjo-prado-foto-edson-lopes-jr.jpg

Um dos mais influentes e respeitados jornalistas e críticos culturais do Brasil, Miguel Arcanjo Prado dirige o Blog do Arcanjo e o Prêmio Arcanjo. É mestre em Artes pela UNESP, pós-graduado em Mídia e Cultura pela ECA-USP, bacharel em Comunicação Social pela UFMG e crítico da APCA – Associação Paulista de Críticos de Artes, da qual foi vice-presidente. Coordena a Extensão Cultural da SP Escola de Teatro e faz o Podcast do Arcanjo. Foi eleito entre os melhores jornalistas de Cultura do Brasil pelo Prêmio Comunique-se e Prêmio Governador do Estado de São Paulo. Passou por Globo, Record, R7, Record News, Folha, Abril, Huffpost Brasil, Notícias da TV, Contigo, Superinteressante, Band, Gazeta, UOL, Uma, Rede TV!, Rede Brasil, TV UFMG e O Pasquim 21. É jurado das premiações Prêmio Arcanjo, Sesc Melhores Filmes, Prêmio Bibi Ferreira, Prêmio Destaque Digital, Melhores do Ano Guia da Folha, Prêmios ANCEC e Prêmio Canal Brasil de Curtas. É vencedor do Troféu Nelson Rodrigues, Prêmio Destaque em Comunicação Nacional ANCEC, Troféu Inspiração do Amanhã e Prêmio África Brasil.
Foto: Edson Lopes Jr.
© Blog do Arcanjo – Entretenimento e Cultura por Miguel Arcanjo Prado | Todos os direitos reservados.

O atributo alt desta imagem está vazio. O nome do arquivo é podcast-do-arcanjo.jpg
Please follow and like us:

1 Resultado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Marina Sena lança música com Gal Costa Crítica | Anitta maceta sons do Brasil no álbum À Procura da Anitta Perfeita e supera críticas com hits do verão Brasil e Argentina se beijam na Copa do Mundo do Qatar 2022 Após críticas, Nômade Festival coloca negros com Erykah Badu Festival de Curitiba anuncia novidades em 2023