Satyros faz maratona grátis de teatro digital no fim de ano

Ivam Cabral e Rodolfo García Vázquez, da Cia. Os Satyros – Foto: Silvana Garzaro

Por Miguel Arcanjo Prado

A Cia. Os Satyros, fundada por Ivam Cabral e Rodolfo García Vázquez e pioneira no teatro digital neste turbulento 2020, programou uma verdadeira maratona online grátis com suas peças de sucesso de público e de crítica nos últimos 12 meses. A festa cênica em ritmo de retrospectiva começa nesta sexta, 11, e vai até 21 de dezembro, no Espaço Digital dos Satyros na Sympla.

A mostra especial ocorre após o êxito do Festival Satyrianas em formato digital, com 319 atividades, 98 filmes e público de 45 mil pessoas entre os últimos dias 3 e 6 de dezembro. Com 31 anos de história, a Cia. Os Satyros já fez mais de 100 espetáculos, se apresentou em 27 países e ganhou mais de 100 prêmios, entre eles APCA, Shell, Mambembe, Apetesp, Arcanjo de Cultura e Governador do Estado de São Paulo.

Recentemente, o grupo foi duplamente premiado no Festival Internacional Red Curtain, em Calcutá, na Índia, com os troféus de Melhor Produção e Melhor Elenco para a peça A Arte de Encarar o Medo, de Ivam Cabral e Rodolfo García Vázquez, apresentada em quatro continentes neste ano e elogiada pela bíblia da cultura nova-iorquina Time Out.

Lembrando que as versões internacionais de A Arte de Encarar o Medo, renomeada em inglês de The Art of Facing Fear, voltou ao cartaz com dois diferentes elencos: um estadunidense e outro africano-europeu. Afinal, eles são do mundo.

Retire seu ingresso para ver Os Satyros

Maratona Satyros no Fim do Ano

A ARTE DE ENCARAR O MEDO
Sex, 11/12 – 21h
Sáb, 12/12 – 21h
Dom, 13/12 – 16h
Seg, 14/12 – 21h
Ter, 15/12 – 21h
Qua, 16/12 – 21h
Sex, 18/12 – 21h
Sáb, 19/12 – 21h
Dom, 20/12 – 16h

Espetáculo Novos Normais, da cia de teatro Os Satyros. Foto por Andre Stefano.

NOVOS NORMAIS – sobre sexo e outros desejos pandêmicos
Sábados e domingos às 18h
dias 12/12 e 13/12
No dia 13, além da apresentação normal, haverá também apresentação às 2h da madrugada (de sábado pra domingo), pela Virada Cultural
dias 19/12 e 20/12

TODOS OS SONHOS DO MUNDO
Domingos às 20h e segundas, 21h, com exceção do dia 14/12, quando será apresentada ‘A Arte de Encarar o Medo’
07/12
13/12
20/12
21/12

RUÍNAS E CONSTRUÇÕES (solo mais recente de Ivam Cabral)
Quintas às 21h
10/12
17/12

SINOPSES DAS PEÇAS

A ARTE DE ENCARAR O MEDO
Em um futuro distópico, pessoas tentam reconstruir histórias de uma vida anterior à pandemia. Em quarentena há 5.555 dias, isolados e angustiados, criaram um grupo na internet para se conectar. Esses amigos não entendem como ainda existe energia elétrica nem acesso à web, porque as emissoras de televisão e os jornais deixaram de existir e as cidades foram abandonadas. A depressão, a solidão, o medo do contágio, a angústia pela proximidade da morte e o desespero diante dos ataques diários contra a democracia brasileira perpassam as cenas do espetáculo.

NOVOS NORMAIS – sobre sexo e outros desejos pandêmicos
Vinte atores levam à cena desejos e sentimentos represados que se manifestam em tempos de “novo normal”: o sexo, as carências de afeto e contato físico, as saudades das rotinas abandonadas, as compulsões adquiridas ou intensificadas pelas drogas lícitas e ilícitas e outros desejos e manias particulares.

TODOS OS SONHOS DO MUNDO
A peça é uma autoficção criada a partir do diálogo entre a experiência pessoal de Ivam Cabral (com as perdas e a depressão) e a poesia, que se revelou poderosa ferramenta no seu enfrentamento do chamado “Mal do Século XXI”, segundo a OMS (Organização Mundial da Saúde).

RUÍNAS E CONSTRUÇÕES
Em interlocução direta com o público, Ivam Cabral conta a história de sua mãe, Eunice, cuja vida foi atravessada pela obra de Virgínia Wolf de forma inesperada. Mulher de pouco estudo e vida muito pobre, cultivava o hábito de reunir os doze filhos após o jantar para que lessem juntos algum livro. A história de Eunice começa a mudar quando seu filho Ivam traz da biblioteca escolar um conto de Virginia Wolf numa tradução manuscrita por uma misteriosa baronesa que viveu na cidade. A partir daí, vidas e enredos distintos se entrelaçam enigmaticamente ao ano de 1991, numa história de improváveis – e verídicas – coincidências e segredos revelados.

Retire seu ingresso para ver Os Satyros

Miguel Arcanjo Prado é jornalista, mestre em Artes pela UNESP, pós-graduado em Mídia, Informação e Cultura pela ECA-USP e bacharel em Comunicação Social pela UFMG. Eleito três vezes pelo Prêmio Comunique-se um dos melhores jornalistas de Cultura do Brasil. Nascido em Belo Horizonte, vive em São Paulo desde 2007. É crítico da APCA, da qual foi vice-presidente. Passou por Globo, Record, Folha, Contigo, Editora Abril, Gazeta, Band, Rede TV e UOL, entre outros. Desde 2012, faz o Blog do Arcanjo, referência no jornalismo cultural. Em 2019 criou o Prêmio Arcanjo de Cultura no Theatro Municipal de SP. Em 2020, passou a ser Coordenador de Extensão Cultural e Projetos Especiais da SP Escola de Teatro e começou o Podcast do Arcanjo em parceria com a OLA Podcasts. Foto: Bob Sousa.

Siga @miguel.arcanjo

Ouça o Podcast do Arcanjo

Please follow and like us:

1 Resultado

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *